Super Hiper Mega Banner

#191-Crianças invisíveis

Coletânea de sete curtas dirigido por diretores de sete países diferentes. Em comum, a infância difícil de crianças. Alguns problemas são universais e a intenção do filme é deixar essas crianças visíveis, abrindo os olhos do mundo.

O primeiro curta é "Tanza", dirigido por Mehdi Charef de Burkina Faso. Um filme que mostra crianças armadas numa guerrilha e a perda da inocência, com as chances de um futuro melhor sendo destruídas por completo. É bem forte, embora a direção poupe o espectador da violência explícita. Em seguida vemos "Ciganos", de Emir Kusturica, da Sérvia. Na minha opinião é um dos melhores. Senso de humor pastelão junto com uma história dramática de crianças delinqüentes num reformatório. Atuação impressionante do protagonista!

Daiblog.net - adicione nos seus favoritos!
"Jesus, crianças da América" representa os EUA e foi dirigido por Spike Lee (de "Faça a coisa certa"). O tema, como já se pode imaginar, é o racismo contra negros. Só que a história vai além disso, também tratando de temas como drogas e AIDS. Um dos curtas mais tocantes. "Bilú e João" foi dirigido por Kátia Lund, brasileira que já trabalhou no filme "Cidade de Deus". O curta mostra uma realidade bastante comum do Brasil, a das crianças catadoras de latinhas e papelão. Alguns momentos bem interessantes e bem feitos (como a cena da chuva e a corrida mesclada com video-game) e cenas da nossa conhecida desigualdade nacional. Entretanto, achei otimista, até demais!
Daiblog.net - adicione nos seus favoritos!
"Jonathan", de Jordan Scott e Ridley Scott (de "Gladiador") é, sem dúvidas, o mais poético de todos. David Thewlis (que já atuou em "O novo mundo" e foi o fotógrafo de "A profecia") é um repórter fotográfico (de novo!) que sofre com a situação de miséria do mundo. Ele embarca numa viagem ao passado, com amigos de infância e reminiscências; numa tentativa de escapar da realidade. Muito sensível, com imagens belíssimas.

"Ciro" foi dirigido por Stefano Veneruso, da Itália. Um curta enigmático, sobre violência e amizade. O filme termina com "Song Song e a pequena Gatinha", dirigido pelo chinês John Woo. Diferente do que se pode esperar, o filme não é de ação e sim um dramalhão piegas sobre duas garotas que vivem na mesma cidade, mas em mundos diferentes. Uma é rica é sofre com os problemas dos pais. A outra é uma menina que foi encontrada no lixo e que vive com um bondoso morador de rua. Uma boneca quebrada liga as duas personagens e, apesar de todo sofrimento, a mensagem final é bonita e emocionante. Esse, sem dúvidas, foi feito para chorar!

Daiblog.net - adicione nos seus favoritos!
"Crianças invisíveis" é um filme muito bom. Não só pela qualidade dos curtas, mas também pelo nobre propósito de alertar o mundo para as condições de vida de milhares de crianças. Os diretores trabalharam de graça e parte da renda do filme foi destinada para a Unicef e para o Programa Mundial contra a Fome. Cotação do Dai: ****
All the Invisible Children (Itália/França, 2005) Dirigido por: Mehdi Charef, Emir Kusturica, Spike Lee, Kátia Lund, Jordan Scott, Ridley Scott, Stefano Veneruso, John Woo. Com: Mehdi Charef, Diego De Silva, Stribor Kusturica, Cinqué Lee, Qiang Li, Jordan Scott, Eduardo Tripa, Stefano Veneruso.

Veja aqui o trailer do filme Crianças invisíveis.

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.