Super Hiper Mega Banner

#196-Terror em Silent Hill

Menina sonâmbula preocupa família. Durante a noite, ela começa a andar perigosamente pelas ruas, sempre pronunciando "Silent Hill". A mãe, querendo descobrir a causa disso, viaja com a filha para a cidade que tem o mesmo nome. Será que lá elas encontrarão as respostas? O marido (Sean Bean, de "Plano de vôo", "A ilha" e "Escuridão") não acredita nisso e tenta impedir as duas de visitarem Silent Hill, cidade abandonada que tem a fama de ser amaldiçoada.

O filme é baseado no famoso jogo japonês. Pelo título nacional está claro que terá terror na história. Mas não é só um filme para dar sustos e impressionar. A história é complexa e fantástica, indicada apenas para quem tem a capacidade de ter a mente aberta e absorver as bizarrices que são mostradas a todo momento. Quem já jogou os jogos deve gostar mais.

Se você for ver esperando algo realista, vai se decepcionar. Eu, que nunca joguei nenhum dos jogos, assisti sem ter idéia do que se tratava o filme e me surpreendi pela abstração das situações. É tudo muito imprevisível, embora o final sangrento tenha me lembrado "Carrie, a estranha" e até mesmo "O homem de palha" (versão original, já que ainda não vi a regravação). A ambientação da cidade é sombria. Os cenários são sujos e transmitem insegurança e nojo. O diretor Christophe Gans já teve experiências com terror, dirigindo o primeiro dos três segmentos do filme "Necronomicon, o livro proibido dos mortos", baseado na obra de H.P. Lovecraft. Gans também dirigiu "O pacto dos lobos".

Se for para resumir o filme numa palavra, eu escolheria: pesadelo. As criaturas são tão estranhas e horripilantes que parecem ter sido retiradas do inferno. Terrível, terrível. O final é bom, provavelmente deve sair uma continuação.

Cotação do Dai: ***

Silent Hill (EUA, 2006) Dirigido por: Christophe Gans Com: Radha Mitchell, Sean Bean, Laurie Holden, Deborah Kara Unger, Kim Coates, Jodelle Ferland, Ron Gabriel...

Clique aqui para ver o trailer de Terror em Silent Hill legendado em português:


* * *

E por falar em continuação, se prepare para a continuação de Efeito borboleta. Mas espere, não são os mesmos personagens do primeiro filme. Ashton Kutcher aprendeu muito bem que é complicado lidar com traumas e as complicações futuras que se tem quando se modifica o passado.
O protagonista do novo filme, entretanto, parece não conhece a teoria do caos. Leia abaixo a sinopse oficial do filme Efeito borboleta 2:

Nick Larson (Eric Lively) não poderia estar em melhor momento. A empresa na qual trabalha está indo de vento em popa e seu namoro com Julie (Erica Durance, da série "Smallville") parece perfeito. Mas tudo muda repentinamente quando ele recebe um telefonema de seu supervisor exigindo sua presença justamente no dia do aniversário de Julie. A partir de então, uma cadeia de eventos vai resultar na morte de três pessoas em um trágico acidente - incluindo sua jovem namorada. Um ano depois, Nick ainda tenta reunir os pedaços de sua vida destruída.

Mas para a sua surpresa, em determinados momentos ele começa a ter estranhos surtos epilépticos nos quais mantém a consciência e parece estar viajando no tempo. Agora, Nick tem a oportunidade de mudar o passado e reconstruir sua existência de uma vez por todas, recuperando o emprego e impedindo a morte do seu amor. Mas a missão é mais difícil do que aparenta, já que qualquer pequeno detalhe modificado pode significar uma enorme reviravolta no futuro. Será que ele está preparado para lidar com as conseqüências de suas escolhas?

Um comentário:

  1. Filme show de bola esse!! Ótimos efeitos especiais, tenebroso, cenários, características de alguns personagens e trilha sonora nos remetem ao jogo, adaptação perfeita. Adorei!!

    ResponderExcluir

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.