Super Hiper Mega Banner

#214-Hellraiser 3, inferno na Terra

Se Hellraiser fosse uma trilogia, esse seria o filme mais fraco. A história não é bem uma seqüência do segundo filme, mas ainda preserva o jeito que a história anterior terminou. Um homem dono de uma boate compra o Pilar das Almas, uma estranha escultura (que aparece no final do segundo filme). Mas ele não faz idéia que Pinhead e outros seres do inferno habitam o objeto.

Paralelamente a isso está Joey Summerskill, uma bonita jornalista americana que tem pesadelos com o falecido pai numa guerra. Um crime sangrento irá levar Joey até a boate. O roteiro deste filme possui algumas semelhanças com os anteriores, como o consumo de sangue para renascer e a relação do prazer com a dor.


A diferença principal é que a história de Pinhead é bem explicada, com detalhes que os outros filmes nem fizeram questão de citar. E é memorável também, como já se pode imaginar pelo título, que os cenobitas vão fazer a festa na Terra, matando muitas pessoas. A cena lembra bastante o massacre de "Carrie, a estranha", com pessoas tentando fugir e portas sendo fechadas. Só que é mais violento e sádico, com ganchos puxando peles e outras barbaridades típicas dos filmes Hellraiser.
Os efeitos especiais são medianos, bem computadorizados. Na época era o máximo, hoje em dia são ultrapassados, apesar de ainda divertirem. A seqüência da perseguição na cidade, por exemplo, é muito boa. Filme bem anos 90 mesmo, com música tema da banda Motorhead. Novos cenobitas são apresentados e existe um clima de humor negro na história, bem mais evidente que nos outros filmes. Perto das outras produções da franquia Hellraiser, esse continua sendo um bom filme.
Cotação do Dai: ***

Hellraiser III: Hell on Earth (EUA, 1992) Dirigido por: Anthony Hickox Com: Terry Farrell, Terry Farrell, Lawrence Mortorff, Kevin Bernhardt, Paula Marshall...

Clique aqui para ver o trailer do filme Hellraiser 3, Inferno na Terra:
* * *
Literatura

Cem sonetos de amor

Pablo Neruda, vencedor do prêmio Nobel de literatura em 1971, escreveu esse livro dedicado para Matilde Urrutia. São realmente cem sonetos, todos relacionados ao amor. A obra é dividida em quatro partes: manhã, meio-dia, tarde e noite. A poesia chilena de Neruda fala de sentimento, paixão e é carregada de elementos da natureza. Leia abaixo um dos sonetos do livro.

Cotação do Dai: ***

LXVI
Pablo Neruda

Não te quero senão porque te quero
e de querer-te a não querer-te chego
e de esperar-te quando não te espero
passa meu coração do frio ao fogo.

Te quero só porque a ti te quero,
te odeio sem fim, e odiando-te te rogo,
e a medida de meu amor viageiro
é não ver-te e amar-te como um cego.

Talvez consumirá a luz de janeiro,
seu raio cruel, meu coração inteiro,
roubando-me a chave do sossego.

Nesta história só eu morro
e morrerei de amor porque te quero,
porque te quero, amor, a sangue e fogo.

Pesquise os preços deste livro usando o Buscapé! O link está logo acima.

Leia também sobre outros livros já comentados aqui no Daiblog: "
A reportagem", "Jacob & Wilhelm Grimm", "Timbuktu".

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.