Super Hiper Mega Banner

#682-Evil - Raízes do mal

O longa-metragem Evil, Raízes do mal concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2004. A co-produção Suécia / Dinamarca foi baseada em um livro polêmico que conta a história de Erik Ponti (Andreas Wilson), um adolescente problemático. Surrado em casa pelo padrasto intolerante, ele reproduz nas ruas a violência que aprendeu dentro de casa.

Depois de ser expulso da escola por ter espancado um aluno, a mãe de Erik o transfere para um exigente e distante colégio. Trata-se do único local que aceitou o estudante, por isso Erik promete para a família que irá concluir os estudos. Porém a instituição se mostra um verdadeiro inferno, com veteranos que ditam regras e comandam os outros alunos.

Evil - Raízes do mal
Estudantes e a violência

Diante de humilhações, trotes e abusos, Erik terá que decidir se aceita tudo para conseguir se formar ou reage com violência, atitude que pode fazer com que ele perca a última oportunidade de estudar. O elenco jovem e talentoso foi bem conduzido pela direção de Mikael Håfström, cineasta sueco que depois foi trabalhar em filmes norte-americanos como Fora de rumo e 1408.

Evil - Raízes do mal
O filme concorreu ao Oscar em 2004

Evil - Raízes do mal faz pensar sobre as origens da violência. Assim como o documentário Ônibus 174, o filme revela o outro lado do agressos, contando detalhes que poucas vezes são expostos. O protagonista é um típico bad boy que poderia ser visto com um rebelde sem causa. Mesmo assim, com o decorrer da trama, conhecemos melhor seu cotidiano e uma possível explicação para o comportamento do anti-herói. E fica evidente como funciona o ciclo destrutivo da violência, que faz com que inocentes sofram as consequências.
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

Ondskan (Suécia / Dinamarca, 2003) Dirigido por Mikael Håfström. Com Andreas Wilson, Henrik Lundström, Gustaf Skarsgård, Linda Zilliacus, Jesper Salén, Filip Berg, Fredrik af Trampe, Richard Danielsson...

Veja aqui o trailer do filme Evil - Raízes do mal:


Daiblog

Anticristo provoca amor e ódio em Cannes

O novo filme de Lars Von Trier, Anticristo, foi exibido na noite de domingo, dia 17 de maio, para imprensa mundial, causando todos os tipos de reação. Os correspondentes brasileiros descreveram a reação da platéia como: estupefata, atônita e um filme que “leva gelo à espinha”.

Anticristo é o quarto filme do diretor Lars Von Trier que a California Filmes distribui no Brasil. Os anteriores são: Dogville, Manderley e O Grande Chefe, porém nas palavras do diretor, em coletiva de imprensa (que ocorreu hoje, 18/05) durante o Festival de Cannes, esse é o seu filme mais importante. No elenco estão Willem Dafoe (o Duende Verde de Homem-Aranha), que havia trabalho com Von Trier em Manderley e Charlotte Gainsbourg (de 21 Gramas e Lemming - Instinto animal).

Anticristo de Lars Von Trier
Cena de Anticristo

Eles são um casal devastado que se muda para uma cabana, isolados na floresta Éden, após a morte de seu único filho. Lá, coisas estranhas e obscuras começam a acontecer. O filme é divido em quatro partes: Prólogo (descrito por alguns jornalistas como uma obra prima) e três partes já na floresta de Éden.

O filme tem previsão de estréia no Brasil entre agosto e setembro de 2009.

2 comentários:

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.