Super Hiper Mega Banner

#713-À deriva

Se você não quiser perder tempo, não precisa nem ler este texto. Desligue o computador e vá para o cinema mais perto assistir À deriva. Agora se você quiser saber os motivos deste conselho, prossiga a leitura. O novo filme de Heitor Dhalia (Nina, O cheiro do ralo) mostra que o cinema nacional não se resume a favela movies, remakes de comédias românticas ou histórias sobre a pobreza no terceiro mundo. Com uma produção muito boa, o longa-metragem é uma boa surpresa para quebrar o preconceito que ainda existe com as películas brazucas.

O roteiro conta o amadurecimento de Felipa (Laura Neiva), uma adolescente de 14 anos que passa as férias com os irmãos e os pais em uma casa no litoral de Búzios. O grande clima de férias - aquela boa sensação de diversão e ócio preenche o início da projeção, ao mostrar uma feliz família aproveitando o sol e a praia. Mas depois descobrimos (juntamente com Felipa) que as coisas não são assim tão simples.

A deriva
Os pais de Felipa

Ela percebe as falhas no casamento dos pais (interpretados por Débora Bloch e Vincent Cassel, de Fora de rumo e Senhores do crime) e tem um olhar menos infantil do mundo a medida das descobertas da puberdade. Quando a protagonista descobre que o pai possui um caso com outra mulher (Camilla Belle, de Quando um estranho chama e O mundo de Jack e Rose), ela tenta entender o universo dos adultos.

A deriva
Felipa

A produção está incrível, com destaque para a inspirada trilha sonora de Antonio Pinto (de O senhor das armas, A estranha perfeita e O amor nos tempos do cólera), figurino assinado por Alexandre Herchcovitch e fotografia de Ricardo della Rosa, que registra belíssimas e paradisíacas imagens.

O roteiro, do próprio diretor, contou com a ajuda da promissora Vera Egito (do curta Espalhadas pelo ar) e o resultado é um longa-metragem envolvente do início ao fim. A ambientação lembra o drama XXY (pelas descobertas sexuais) e o filme me fez recordar do excelente Chuva de verão, que também mostra uma adolescente que se depara com a traição familiar enquanto descobre a própria sexualidade. E por falar em sexo, podólatras de plantão terão motivos de sobra para conferir pezinhos durante toda projeção!
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

À deriva (Brasil, 2009) Dirigido por Heitor Dhalia. Com Débora Bloch, Camilla Belle, Vincent Cassel, Laura Neiva, Max Huzar, Taís Araújo, Cauã Reymond, Gregório Duvivier...

Daiblog Quer comprar o filme À deriva? Clique aqui e pesquise onde tem o menor preço!

Veja aqui o trailer do filme À deriva legendado em português na TV Daiblog:

Daiblog

Halloween da Playarte - Edição de distribuidora gera polêmica

Se tem um gênero de filme que possui seguidores fiéis é o terror. Você pode encontrar gente que gosta de comédia, mas vê outro tipo de filmes. Agora quem realmente é fã de horror é capaz só de ver filmes assombrosos. É por isso que o lançamento de Halloween, o início está gerando polêmica no país graças à união dos fãs.

Como se não bastasse o atraso (o filme foi originalmente lançado em 2007), a Playarte lançou uma versão com 26 minutos a menos. O motivo é claro: conseguir uma classificação indicativa baixa (14 anos) e lucrar mais com a bilheteria. Assim, as principais sequências de violência foram cortadas, o que desagradou quem esperava com ansiedade a refilmagem assinada por Rob Zombie (Rejeitados pelo diabo).

Halloween o inicio
Playarte Michael Myers é responsável pelos cortes impiedosos

Enquanto pipocam no orkut mensagens de revolta dos fãs do assassino Michael Myers, surgem também incentivos para boicotar o longa nos cinemas e fazer o download pirata. O verdadeiro terror, na verdade, é a preocupação com o que pode acontecer sobre futuros filmes de terror.

Confira abaixo o trailer do filme Halloween - O início (que contém cenas que lamentavelmente não são exibidas nos cinemas):

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.