Super Hiper Mega Banner

Cinema Especial Festival de Brasília 2009

Está marcado para os dias 17 a 24 de novembro o 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Hoje de manhã , no Foyer da Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Cláudio Santoro, foram anunciados os filmes e curtas que participarão das mostras competitivas.

Ao todo, 366 produções foram inscritas, sendo 52 de Brasília. O filme que abre o evento é o aguardado Lula, O Filho do Brasil, dirigido por Fábio Barreto. E o que encerrará o festival deste ano é Brasília a Última Utopia, de Pedro Anísio, Geraldo Moraes, Vladimir Carvalho, Pedro Jorge de Castro, Moacir de Oliveira e Roberto Pires. Tanto os filmes de abertura e encerramento não concorrem a prêmios e serão exibidos apenas para convidados.

Crédito: Júnior Aragão
Fernando Adolfo (de amarelo) - coordenador do festivalCrédito da foto: Júnior Aragão
Confira os filmes que serão exibidos nas mostras competitivas:

MOSTRA COMPETITIVA 35MM – LONGAS-METRAGENS- A Falta que me Faz, de Marília Rocha
- É Proibido Fumar, de Anna Muylaert
- Filhos de João, Admirável Mundo Novo Baiano, de Henrique Dantas
- O Homem Mau Dorme Bem, de Geraldo Moraes
- Perdão Mister Fiel, de Jorge Oliveira
- Quebradeiras, de Evaldo Mocarzel

E proibido fumar
Cena de É proibido fumar
MOSTRA COMPETITIVA 35MM – CURTAS-METRAGENS
- A Noite por Testemunha, de Bruno Torres
- Água Viva, de Raul Maciel
- Amigos Bizzaros do Ricardinho, de Augusto Canani
- Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos, de Camilo Cavalcante
- Azul, de Eric Laurence
- Bailão, de Marcelo Caetano
- Carreto, de Marilia Hughes e Claudio Marques
- Dias de Greve, de Adirley Queirós
- Faço de mim o que quero, de Sergio Oliveira e Petronio Lorena
- Homem-Bomba, de Tarcísio Lara Puiati
- Recife Frio, de Kleber Mendonça Filho
- Verdadeiro ou Falso, de Jimi Figueiredo

Lula o filho do Brasil
Lula, o filho do Brasil
MOSTRA COMPETITIVA DIGITAL
- A Última Quinta, de Fernando Arze
- Apreço, de Gabriel Trajano
- Cerol, de Bruno Mello Castanho
- De muro a muro, de Marina Watanabe e Rebeca Damian
- Dois Mundos, de Thereza Jessouroun
- Dois Pra Lá, Dois Pra Cá, de Marcela Bertoletti
- Ensaio de Cinema, de Allan Ribeiro
- Inexorável, de Juliano Coacci Silva
- Lembrança, de Mauricio Osaki
- Mas na verdade uma história só, de Francisco Craesmeyer
- O canalha, de Latege Romro Filho e Rodrigo Luiz Martins
- Obra Prima, de Andréa Midori Simão e Thiago Faelli
- Os Pais, de Lello Kosby
- Quase de Verdade, de Jimi Figueiredo
- Roteiro para minha morte, de Pablo Gonçalo
- Sala de Montagem, de Umberto Martins
- Santa Bárbara do Oeste, de Tato Carvalho
- Vladimir Palmeira - A História Sem Mitos, de Roberto Reis Stefanelli

Fique ligado para conferir mais informações sobre o festival!

Conheça mais sobre o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Criado em 1965, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é o mais antigo do país. De lá para cá, sempre foi referência de crítica e propagação da sétima arte. Idealizado por Paulo Emílio Salles Gomes, crítico de cinema, o evento que nasceu no início da Ditadura Militar, sempre teve caráter contestatório, o que levou a sua proibição durante os anos de 1972 e 1974.

Uma constelação de artistas já passou pelo tapete vermelho do Cine Brasília, entre eles, Fernanda Montenegro, Grande Otelo e Arnaldo Jabor. Todos premiados na primeira edição do evento. Entre as marcas registradas do Festival, estão a fidelidade à produção nacional, o espaço dado aos novos nomes e seu público extremamente crítico. Para os cineastas, o Festival de Brasília funciona como um termômetro, se o público daqui gostar, é sucesso garantido.
Desde 2007, a acessibilidade é garantida no FBCB. Para assegurar um direito igualitário à cultura, os filmes foram legendados e os deficientes visuais contam com um sistema de audiodescrição. Além disso, em 2008, pela primeira vez, os cegos escolheram o filme que mais gostaram.

Daiblog
O polêmico Filmefobia foi o grande vencedor do ano passado
Porém, mais que um grande propagar cultural, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é um dos grandes pontos de encontro da população da capital. Durante os seis dias de mostra competitiva, pessoas de todas as tribos e idades passam pelo Festival, principalmente, no Cine Brasília, onde ocorre a mostra competitiva.

DaiblogVeja na TV Daiblog o diretor Júlio Bressane e equipe apresentando o longa Cleópatra, estrelado por Alessandra Negrini. O filme concorreu na Mostra Competitiva 35 mm do festival de 2007.

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.