Super Hiper Mega Banner

#757-Perdão, Mister Fiel

Cobertura Daiblog Festival Brasilia do Cinema Brasileiro 2009

O segundo longa-metragem exibido na Mostra Competitiva 35mm do Festival de Brasília foi Perdão, Mister Fiel. O documentário conta a história do operário comunista Manoel Fiel Filho, torturado e morto durante a ditadura brasileira. Unindo depoimentos de pessoas viveram na época com cenas de dramatizações, o filme prende a atenção do início ao fim.

Perdão mister fiel
Fiel sendo torturado

O assassinato de Fiel representou um marco na história brasileira, pois foi a gota d'água das barbaridades exercidas pelos militares. O documentário tem início com a biografia de Fiel e depois amplia-se sobre os procedimentos de tortura e o que representou a ditadura no Brasil e em outros países da America do Sul, como o Chile e a Argentina.

Perdão, Mister Fiel
Um fantasma que não pode ser esquecido

Longe de ser um filme chato e burocrático, a quantidade de informações sobre o período é enriquecedora e cumpre o papel de informar. Pode ser interessante especialmente para aqueles que não viveram no período e estão acostumados o regime democrático. A produção também alerta sobre a participação dos Estados Unidos nestes processos. Interessante e bem conduzido, é uma obra fundamental para quem não faz idéia de como o golpe militar influenciou (e influencia até hoje - na forma das marcas que a tortura deixa) as pessoas e o Brasil como um todo. Destaque para a eficiente trilha sonora.
Cotação do Daibog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

Perdão, Mister Fiel (Brasil, 2009) Dirigido por Jorge Oliveira. Com Roberto de Martin, Alice Stefânia e Similião Aurélio. Depoimentos de Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso, José Sarney, Senador Juan Pablo Letelier (Chile), Maria Celina D´Araujo, Álvaro Caldas, Umberto Trigueiros, D. Thomas Balduino, Audálio Dantas, Jarbas Passarinho, James Green, Carlos Alberto Luppi, Paulo Markun, Thereza Fiel e Jordan Yang.

Veja aqui um trecho do filme Perdão, Mister Fiel, na TV Daiblog:



Bailão
Pela discreta sinopse divulgada sobre o curta, é impossível entender claramente do que se trata o curta-metragem Bailão. Isso até ele ser assistido, é claro. Somos apresentados a uma casa de bailes onde a maioria do público frequentador é formada por homens dos quarenta anos para cima. O local serve de motivo para o documentário expandir seu principal tema: a homossexualidade.

Bailão
Bailão

Com personagens já de certa idade, o filme apresenta uma série de histórias de homens que descobriram a sexualidade em um período ainda menos tolerante que os dias atuais. Temas como AIDS e a marginalidade desta opção são abordados nos depoimentos. E é como uma aula de história, que mostra o passado para se compreender o presente. Merece ser visto assim como um outro documentário chamado Cinema em sete cores, cujo tema dialoga com Bailão. Pena que é um filme curto!
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblog

Bailão (Brasil, 2009) Dirigido por Marcelo Caetano. Com Armando Nunes, Mozá Pinho de Menezes, Luiz Carlos Munhoz, Ivan Santos e Ricardo Rocha...

Água viva

Água viva foi o único filme de ficção na segunda noite do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Ao lado das outras duas produções exibidas, entende-se o porquê da maior parte das produções selecionadas ser formada por documentários...

Água viva
Descobertas na adolescência

O curta fala de descobertas na adolescência e como um garota vive a transição para outra fase da vida, com novos desejos. A produção faz parte do projeto Sal Grosso, que reúne estudantes de cinema de vários estados do Brasil. Apesar não pecar na direção e ser bem feito, o curta deixa a desejar em alguns momentos, principalmente nas atuações. Não gostei muito.
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblog

Água Viva (Brasil, 2009) Dirigido por Raul Maciel. Com Mariah Teixeira, Plínio Soares e Samuel de Assis.

Veja aqui um trecho do filme Água viva, na TV Daiblog:




Daiblog

Seminário: Narrativas do curta, experiências de produção e circulação do filme curto
Dias: 21 e 22 de novembro de 2009 às 11h

Hotel Nacional, sala 1
2009- ANO DA FRANÇA NO BRASIL

Apresentação
Revelador de um cinema em movimento, o Festival Internacional de Très Courts promove há onze anos a emergência de uma criação audiovisual acessível a todos, sejam realizadores estreantes ou renomados, acadêmicos ou inovadores, reunidos em torno de um formato de criação único e conciso (filmes de até três minutos).

Em 1999, o Festival teve sua primeira edição apresentada no Fórum des Images em Paris, quando imediatamente constatou-se o interesse pelo formato curtíssimo tanto por parte de realizadores quanto do público, tendo se firmado como um evento de referência nesse novo formato de expressão.

Festival Internacional de Filmes Curtíssimos no Brasil
Brasília é a cidade sede do Festival no Brasil, e em 2009 a Segunda Edição do evento participa também do calendário de comemorações do Ano da França no Brasil, promovido pelo Comissariado Geral Brasileiro, Ministério da Cultura e o Ministério das Relações Exteriores e conta com o valioso apoio da Embaixada da França no Brasil.

A próxima edição do Festival Internacional de Très Courts, em 2010 acontece nos dias, 7, 8 e 9 de maio de 2010 em aproximadamente 20 países e em mais de 100 cidades pelo mundo.

No âmbito das ações da edição nacional e com o apoio da “França Br 2009” Ano da França no Brasil, pelo comissariado geral francês, pelo Ministério das Relações exteriores e européias, pelo Ministério da Cultura e da Comunicação e por Culturesfrance, o Festival Internacional de Filmes Curtíssimos em parceria com o 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro apresentam o seminário: narrativas do curta, experiências de produção e circulação do filme curto com os convidados Bernard Payen (coordenador da competição de curtas da semana da Crítica do Festival de Cannes), Damien Manivel, curta metragista e Brigitte Veyne, adida audiovisual da Embaixada da França. Em diálogo com o Brasil, Brigitte traçara um panorama do mercado do filme brasileiro no território francês. A mesa será mediada por Josiane Osório, (diretora do festival internacional de filmes curtíssimos no Brasil), Pedro Anísio (cineasta), Marcus Ligocki (roteirista e produtor) e Thiago Moysés (cineasta). O evento tem tradução simultânea e acontece nos dias 21 e 22 de novembro no Hotel Nacional em Brasília, salão vermelho às 11h.

Organização
Josiane Osório

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.