Super Hiper Mega Banner

Cinema Especial - Ashley Judd

Ashley Judd, da oitava geração do leste do Kentucky, mostrou seu talento pela primeira vez interpretando Ruby Lee Gissing no internacionalmente aclamado Ruby in Paradise, de Victor Nunez. Com os mais importantes prêmios de interpretação ao redor do mundo em seu currículo, Judd demonstrou versatilidade ao atuar em uma variedade de gêneros, obtendo sempre sucesso de bilheteria.

Em 2009, atuou no filme independente Helen, escrito e dirigido por Sandra Nettlebeck. Esta dramática história gira em torno de uma professora de música chamada Helen (Judd), que sofre de profunda e debilitante depressão, e a única pessoa que consegue compreender sua dor é uma jovem estudante. Helen estreou no Festival de Cinema de Sundance de 2009.

Em 2006, retornando às suas raízes independentes, Judd trabalhou no longa-metragem Encontros ao Acaso e no filme Possuídos.

Daiblog
O fada do dente
Na televisão, rodou um documentário para o National Geographic, relatando sua viagem à Índia no começo de 2007, destacando seu comprometimento como Embaixadora Global da YouthAids. O documentário foi ao ar no dia primeiro de dezembro, Dia Mundial da Luta Contra a Aids. Em 2006, um documentário parecido foi ao ar no The Learning Channel, sobre a viagem de Judd à América Central com sua amiga, colega, atriz, feminista e ativista humanitária Salma Hayek.

Em 2004, ela comoveu o público com a emocionante atuação como a socialite Linda Lee Porter na cinebiografia de Cole Porter De Lovely – Vidas e Amores de Cole Porter, pela qual foi indicada ao Globo de Ouro. No começo de 2004, Judd atuou em A Marca e também interpretou por seis meses, na Broadway, Maggie, em Gata em Teto de Zinco Quente, de Tennesssee Williams.

Judd teve um ano de 2002 muito bem-sucedido e diversificado. Fez uma pequena, porém notória, aparição em Frida, e um papel de coadjuvante em Divinos Segredos. Judd atuou em Crimes em Primeiro Grau, da Twentieth Century Fox, o qual a reuniu novamente com o coadjuvante de Beijos que Matam, Morgan Freeman. Também para a Fox, Judd atuou em Alguém Como Você. Sua lista de créditos inclui Onde Mora o Coração, Risco Duplo e Sedução Fatal. Judd também atuou no drama de 1998, Pequeno Milagre, baseado no romance de John Irving A Prayer for Owen Meaney.

Daiblog
Possuídos

Em 1997, Judd atuou no sucesso de bilheteria Beijos que Matam, bem como em Segredos Imperdoáveis. Judd também pode ser vista em Fogo Contra Fogo, de Michael Mann, pelo qual foi elogiada pela crítica e no qual contracenou com Robert DeNiro, Al Pacino e Val Kilmer. Em 1996, ela participou do filme Tempo de Matar, de Joel Schumacher. No final de 1996, atuou em Fronteiras do Crime. Também em 1996, Judd foi indicada ao Emmy e ao Globo de Ouro por sua interpretação de Norma Jean em Norma Jean & Marilyn, da HBO.

Judd estreou no teatro em Busted, uma produção de Naked Angels, dirigida por Timothy Hutton. Em seguida, ela interpretou Madge na peça da Broadway vencedora do Prêmio Pulitzer Picnic, de William Inge, no Roundabout Theatre Company, enquanto filmava o inesquecível Cortina de Fumaça.

Ela faz parte do conselho de diretores da PSI (Population Services International). Juntou-se ao PSI em 2004, depois de ser a embaixadora global do programa de educação e prevenção de HIV, YouthAids, desde 2002. Judd visitou os programas do PSI na Tailândia, Camboja, Madagascar, Quênia, África do Sul, Guatemala, Honduras, Nicarágua, El Salvador, Índia, Ruanda e na República Democrática do Congo. Em seu trabalho, ela testemunha as vidas dos explorados e pobres, para ajudar a educar o mundo sobre a realidade da pobreza global e trazer soluções para os devastadores efeitos da injustiça social e das desigualdades entre os sexos masculino e feminino.

A marca
A marca

Foi protagonista de três documentários vencedores de prêmios e transmitidos em mais de 150 países ao redor do mundo pela VH1, pelo The Discovery Channel e pelo The National Geographic Channel. Como parte de seu papel de membro do conselho da PSI, Judd apareceu em diversas capas de revista e foi assunto de inúmeros jornais e entrevistas para a televisão, chamando atenção para os problemas que mais a afligem, a desigualdade entre os sexos e a pobreza. Visitou legisladores na Capitol Hill, localizada na Assembleia Geral das Nações Unidas, para falar a respeito do flagelo do tráfico humano, falou no National Press Club, testemunhou no Comitê de Assuntos Estrangeiros do Senado a favor da proteção das mulheres vulneráveis à violência, ao abuso sexual e ao HIV e, mais recentemente, participou do painel da Clinton Global Initiative, para discutir o problema da água segura e da capacitação de mulheres nos países em desenvolvimento.

Recentemente, Judd começou a participar como representante das organizações Defenders for Wildlife e The Sierra Club, dedicando seu tempo e influência para protestar contra práticas de caça aos lobos, de avião (Defenders for Wildlife), bem como contra a remoção de carvão do topo das montanhas (The Sierra Club). Além de ter trabalhado no filme A fada do dente.

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.