Super Hiper Mega Banner

Cinema Especial - A hora do pesadelo


A Hora do Pesadelo é uma reinvenção do filme de terror seminal de 1984, que se tornou um clássico, inserindo Freddy Krueger nos pesadelos de uma geração de fãs. Agora, um novo Freddy Krueger ganha vida, personificado pelo indicado ao Oscar® Jackie Earle Haley.

“Freddy Krueger é o famoso bicho-papão. Ele é o pior pesadelo de qualquer pessoa, aquele das histórias que contamos quando estamos acampando”, diz Haley, que injeta nova vida em Freddy Krueger em “A Hora do Pesadelo”.
A hora do pesadelo
“O verdadeiro terror diz respeito a coisas totalmente humanas”, observa Samuel Bayer, renomado diretor de videoclipes e comerciais, estreante como diretor de cinema com “A Hora do Pesadelo”. Ele completa: “E todos nós sonhamos, isso é universal”. O produtor Michael Bay ressalta: “A meu ver, o aspecto mais assustador de Freddy Krueger é que ele vem nos matar quando estamos dormindo, ou seja, quando estamos mais vulneráveis. Nos sonhos, não temos onde nos esconder. Não dá para fugir, e ele não vai parar até que você esteja morto ou então acorde. Ele desperta os medos que todos nós temos”.


Brad Fuller, um dos produtores, comenta: “Quando assistimos a filmes de horror, geralmente nos perguntamos como as pessoas se colocam em situações tão perigosas, mas no caso de ‘A Hora do Pesadelo’ não há como uma pessoa ficar acordada para sempre”.
A hora do pesadelo
“Freddy tem todo o tempo do mundo. Tudo o que precisa fazer é esperar, porque em algum momento a pessoa vai acabar entrando no mundo dele”, acrescenta o produtor Andrew Form.

Wes Craven escreveu o roteiro do filme “A Hora do Pesadelo” original, inspirado por uma série de artigos de jornal sobre crianças que passaram pela experiência da guerra e cujos pesadelos recorrentes acabaram por matá-las.

Lançado em 1984, o filme de baixo orçamento, protagonizado por Robert Englund, transformou-se numa sensação no mundo todo. A New Line Cinema o apelidou carinhosamente de “A Casa que Freddy Construiu”, e lançou várias sequências.
A hora do pesadelo
Agora, mais de vinte anos depois, Michael Bay, Andrew Form e Brad Fuller, cuja produtora Platinum Dunes criou um nicho para os filmes de terror clássico, perceberam que chegara a hora de apresentar Freddy a uma nova geração de fãs. “Quando era garoto, achava que, se eu morresse nos meus sonhos, ia morrer de verdade. E isso não veio dos noticiários, tinha essa ideia por causa dos filmes 'A Hora do Pesadelo'. Eles me deixavam apavorado quando eu era criança”, conta Andrew Form.

O diretor Samuel Bayer provou sua capacidade de mesclar o real e o irreal, e foi escolhido pelos produtores por sua perfeita sensibilidade para criar o pior dos pesadelos. Diz Form: “Sam criou imagens duradouras no seu trabalho com o cinema e comerciais, e ficamos empolgados para trabalhar com ele nesta história”.
A hora do pesadelo
Os roteiristas Wesley Strick e Eric Heisserer tomaram o filme de 1984 dirigido por Craven como ponto de partida, mas evoluíram as ideias, explorando psicologicamente elementos do personagem Freddy Krueger. “Tentando escrever para Fred de uma forma nova, acabei voltando a Pied Piper, que puniu uma cidade levando embora todas as crianças”, diz Strick.

“Quando soube que o termo 'pied' significava 'listras de cores contrastantes', exatamente como o famoso suéter de Freddy, achei que era um sinal de que eu estava no caminho certo, fazendo um Krueger ainda mais assustador, como um verdadeiro vingador, um vilão dimensional complexo e mais humano, que pode ter sido falsamente acusado”.

O ambiente onde Freddy vive – que ele controla completamente – é o mundo de sono e sonhos. Bayer comenta: “Através dos séculos, as pessoas tentaram descobrir suas psiques e a razão dos sonhos, e por que algumas pessoas têm medo de dormir. Em algum momento na vida, todos tentamos nos manter acordados por algum motivo. Sabemos como é quando você está cansado e não consegue ficar com os olhos abertos. Normalmente, isso significa apenas que você acaba dormindo, mas, neste filme, isso pode matá-lo”.
A hora do pesadelo
Heisserer descobriu na pesquisa desse fenômeno um fato incrível a respeito do sono. Depois de vários dias sem dormir, o cérebro se desliga para se recarregar automaticamente. Os adolescentes da Rua Elm recorrem a métodos questionáveis para permanecer acordados, que vão de bebidas energéticas a estimulantes controlados e, sem saber, passam a um estado de microssono.

“O microssono faz você dormir por alguns momentos”, Heisserer explica. “Embora você esteja consciente e acordado, parte do seu cérebro está adormecido. Assim, esse fenômeno permite que Freddy ataque os personagens mesmo que estejam acordados, não importando onde estejam”.

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.