Super Hiper Mega Banner

#1000-O Palhaço

Hoje tem marmelada? Tem sim senhor! Tem também palhaçadas, drama e uma história tocante. Estamos falando de O Palhaço, em cartaz nos cinemas. Ambientado nos anos 1980, o filme tem um clima que vai do humor à melancolia e é essa mistura de sensações que pode ser experimentadas no mais novo trabalho do diretor-cineasta-roteirista Selton Mello (Meu Nome Não é Johnny).

Depois de Feliz Natal – sua primeira experiência na direção de um longa-metragem – Selton retorna na pele de Benjamin, rapaz que trabalha como palhaço no Circo Esperança. Quando coloca a maquiagem e diverte o público, ele se assume a identidade de Pangaré. Se transforma em um artista cômico que vai para o palco acompanhado do pai Valdemar, que divide a profissão como Puro Sangue (interpretado pelo excelente Paulo José, de Pequenas Histórias, Meu País, Quincas Berro d'Água). O negócio de família parece funcionar bem, mas, na verdade, a rotina cansa Benja (apelido do protagonista dado pelos colegas de profissão).

Ele pensa em se afastar da turnê para resolver assuntos pessoais. Quer tirar CPF, identidade e encontrar seu lugar no mundo. E vale explicar que a identidade que Benja procura não é apenas o documento. Ele precisa saber quem realmente é.
Seus ideais de felicidade aparecem também na forma de um ventilador, objeto útil e necessário no calor do interior de Minas Gerais – por onde a trupe percorre em itinerância. Sua crise é bem resumida quando ele, em determinado momento, se questiona: “Eu faço todo mundo rir, mas quem vai me fazer rir?”
Exibido anteriormente no Festival de Paulínia e em Gramado, O Palhaço tem uma ótima produção. É um filme bonito de se ver, seja pela fotografia e direção de arte que enchem os olhos, ou pelo elenco repleto de talentos. Paulo José dispensa comentários e aparece na película mostrando que nem mesmo o Mal de Parkinson o impede de dar uma aula de dramaturgia na telona.
Também se destacam as participações especiais, como Moacyr Franco, Tonico Pereira, Jackson Antunes e até mesmo Ferrugem, ator e apresentador da década de 1970 que desapareceu da televisão e que, no filme, vive um funcionário de um cartório.
Os bastidores do universo circense é mostrado de forma humana, o que rende momentos engraçados e também tristes. É possível ver o que se passa por trás das cortinas vermelhas do picadeiro e os sonhos da família de profissionais que usa o encanto e a magia dos espetáculos do circo para viver.
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

Veja aqui o trailer do filme O Palhaço:


O Palhaço (Brasil, 2011) Dirigido por Selton Mello. Com Selton Mello, Paulo José, Renato Macedo,  Fabiana Karla, Moacyr Franco, Teuda Bara...

2 comentários:

  1. Espero este filme desde que vi o treiler, Vou tentar ver no meio da semana. Espero que fique bastantre tempo em cartaz.

    ResponderExcluir
  2. Um filme simples e bonito! Mostra a vida do artista circense, a mágica do espetáculo, a solidão da troupe que viaja entre as cidades e convivem entre si, mas que naquela pureza não há espaço pra traições, onde o que deve reinar é a confiança e felicidade, de ser o que é. Selton Mello fez um papel tão confuso e cativante ao mesmo tempo, que ao juntar a estória de vida do palhaço Benjamin com sua "família", nos faz perceber a beleza e o encanto do filme. Gostei muito da participação do Moacyr Franco, enfim, um filme que me surpreendeu e agradou muito, gostei demais.

    ResponderExcluir

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.