Super Hiper Mega Banner

#999-Contágio

*Por Raissa Saraiva

Se existe um tema que continua impactando o público, independente de raça, nacionalidade ou religião, é a saúde. Em um mundo onde é cada vez mais constante a preocupação com qualidade de vida, nada pode ser mais apavorante do que uma misteriosa e potente pandemia global. Nesse meio, se desenrola a trama de Contágio, escrito por Scott Z. Burns (O Desinformante) e dirigido por Steven Soderbergh, vencedor do Oscar de melhor diretor por Traffic.

Após uma viagem de trabalho a Hong Kong, Beth (Gwyneth Paltrow, vencedora do Oscar de melhor atriz por Shakespeare Apaixonado) começa a apresentar náuseas, tosse e febre, além de crises convulsivas, que a levam a morte em menos de uma semana. Em poucos dias, outras vítimas com os mesmos sintomas surgem em Tóquio, Londres e Chicago, mostrando reações tão letais quanto as da moça. A velocidade de reprodução e desenvolvimento do vírus chama atenção das autoridades sanitárias mundiais que, sem entender os casos, começam uma corrida contra o tempo para evitar consequências com proporções catastróficas.
Durante todo o filme, a trilha sonora ajuda a compor o ambiente sufocante e paranóico representado na tela: todos são suspeitos de transmitir a doença e qualquer ato pode levar a reações inimagináveis. O roteiro, que contou com a consultoria de especialistas da Universidade de Columbia, é totalmente verossímil, especialmente depois do recente caso (e histeria coletiva) provocado pela Gripe H1N1.
A produção permite que o desenrolar da história seja acompanhado de vários pontos de vista, seja pelos especialistas que tentam produzir uma vacina, pelo marido que perde parte da família e precisa proteger os membros que restam ou pelo intérprete que tem parentes infectados. É impossível não entrar na história e imaginar a sensação de completo desespero. A grande sacada, porém, não é abordar a doença em si, mas a complexa relação humana que a acompanha. O filme consegue, com sucesso, mostrar que, atualmente, o homem, a informação e o dinheiro podem ser tão apavorantes quanto as próprias enfermidades.
No elenco repleto de figuras tarimbadas e vencedoras do Oscar (Matt Damon – Invictus, trilogia A Identidade Bourne; Marion Cottilard – A Origem; Laurence Fishburn – Matrix, Predadores e Kate Winslet – Foi Apenas um Sonho). O ator Jude Law (Sherlock Holmes, O Amor não Tira Férias) se destaca como o blogueiro que acredita que a doença é parte de uma teoria da conspiração da indústria capitalista, dando mais uma prova de que o acesso ao conhecimento pode não ser benéfico em certas situações. Clique aqui para ver vídeos com entrevistas com o elenco do filme!
Contágio é como um soco no estômago, uma chacoalhada, um alerta possível ainda que fictício. Vai ser difícil não refletir sobre como pequenos fatos podem simplesmente revolucionar o planeta.
Cotação do Daiblog:
DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog
Veja aqui o trailer do filme Contágio:

Contagion (EUA, 2011).
Dirigido por Steven Soderbergh. Com Matt Damon, Gwyneth Paltrow, Jude Law, Laurence Fishburne, Marion Cottilard, Kate Winslet, Jennifer Ehle, John Hawkes, Anna Jacoby-Heron, Elliout Gould, Larry Clark, Demetri Eisenberg, Griffin Kane…

Um comentário:

  1. Um filme interessante pela visão crítica, de como as pessoas acabam sendo manipuladas por quem tem o poder nas mãos, que defendem primeiramente seus interesses pessoais, diante de um vírus que se alastra pelo mundo, e paralelamente vazam informações se espalhando os boatos, e como as pessoas reagem diante da notícia do perigo, e diante da falta de organização e do desespero por se salvar.

    É um bom filme, mas ficou aquém da promessa pelo elenco que tem.

    ResponderExcluir

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.