Super Hiper Mega Banner

#1003-A Pele que Habito

Pedro Almodóvar é um dos maiores cineastas vivos e com A Pele que Habito ele prova que seu talento está além dos dramas e das comédias, como Volver e Abraços Partidos. Seu novo filme traz elementos de suspense e é o tipo de trabalho que prende a atenção do início ao fim. A história fala de paixão, loucura e vingança, sendo adaptada pelo próprio cineasta a partir do romance Tarântula, do francês Thierry Jonquet.

Robert Ledgard (Antonio Banderas, de Shrek para Sempre) é um cirurgião plástico Robert que desenvolve pesquisas para criar uma pele perfeita e mais resistente depois que sua esposa morreu em um acidente de carro. O que nem todos sabem é que o casarão, onde existe sua clínica particular, serve também de prisão para uma mulher que é mantida presa como cobaia humana.

Ela é Vera (Elena Anaya, de Sem Notícias de Deus e Pecados Inocentes), que vive trancada em um quarto. A relação dela com Robert é misteriosa. Mas este é apenas um dos detalhes que intrigam quem assiste ao longa-metragem. Os mistérios, entretanto, são explicados sem pressa durante toda a projeção. Flashbacks e confissões mostram o passado do médico e vários fatos que o levou a tomar as atitudes do presente.
Contar mais só poderia estragar a experiência que é ver o filme pela primeira vez. Com uma trilha sonora exótica e um bom ritmo, A Pele que Habito surpreende pelo roteiro interessantíssimo e pela direção de Almodóvar. O elenco também está bom, nesta trama que vai surpreender e criar polêmica. Imperdível!
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

Veja aqui o trailer do filme A Pele que Habito:


La Piel que Habito (Espanha, 2011) Dirigido por Pedro Almodóvar. Com Antonio Banderas, Elena Anaya, Jan Cornet, Roberto Álamo, Eduard Fernández, José Luis Gómez, Blanca Suárez...

Um comentário:

  1. Atuações primorosas, num filme bastante criativo e roteiro totalmente inusitado, um grande filme mesmo, estória doentia e prende a atenção.

    Fico pensando, se um filme desse fosse feito no Brasil, muita gente ia esculhambar com o filme, pq tem bastante cenas sensuais(ou sexuais mesmo), e uma estória de transformação, que seria muuuito mal vista aqui se fosse feito por aqui o filme, mas como é um filme de Pedro Almodóvar, todo mundo já se encanta antes de assistir, eu também gostei do filme, mas fica aqui a reflexão, do pq todo mundo pode fazer qualquer filme, e no Brasil não poderia.

    ResponderExcluir

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.