Super Hiper Mega Banner

#1030-Millennium: Os Homens Que Não Amavam as Mulheres


*Por Raíssa Saraiva - raissasaraiva@daiblog.com.br

Um novo sucesso está prestes a começar. Depois de ser levada ao cinema com sucesso em sua terra natal no ano de 2009, a trilogia do escritor sueco Stieg Larsson ganha sua versão norte-americana em Millenium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres. David Fincher (O Curioso Caso de Benjamin Button, Zodíaco) é o responsável pela direção do primeiro capítulo da saga, sucesso da literatura mundial.

Daniel Craig (As Aventuras de Tintim – O Segredo do Licorne) interpreta Mikael Blomkvist, jornalista investigativo que perdeu a credibilidade após uma cansativa batalha judicial. Sem grandes possibilidades profissionais, Blomkvist aceita o convite do milionário Henrik Vanger (Christopher Plummer – Up: Altas Aventuras) para investigar a morte de sua sobrinha-neta adolescente, acontecida 40 anos antes. À medida que conhece o caso, Mikael se aprofunda no dissimulado clã Vanger, família de relações complicadas cujo conglomerado empresarial é atualmente dirigido por Martin (Stellan Skarsgard – Thor), irmão da falecida jovem. A complexidade da trama faz com que o jornalista contrate como assistente a arisca Lisbeth Salander (Rooney Mara – A Rede Social), jovem hacker investigadora.
Apesar das quase 3 horas de duração (são 158 minutos de projeção), a frenética jornada de Mikael e Lisbeth prende o espectador do começo ao fim. Apresentados em cenas cruas e fortes, os mistérios que se desenrolam na história atiçam a curiosidade e a inteligência o tempo todo. Pano de fundo original do livro, as belas paisagens da Suécia alternam imagens modernas e coloridas com a gélida ilha da família Vanger, um verdadeiro oásis de neve.
A química alucinante do casal de protagonistas (que tem tudo para se desenvolver ainda mais nos próximos episódios) se entrelaça com um debate social profundo, salpicado de questões religiosas e antissemitas, que, apesar de estar presente no nome ao filme, não parece assim tão explícito à primeira vista: o estupro de mulheres.
A hacker Lisbeth, aliás, é construída para discutir e desconstruir uma série de outros paradigmas sociais. Considerada mentalmente incapaz pelo Estado, dura, rebelde, bissexual andrógina, punk e violentada de inúmeras maneiras, a personagem é tão cativante que é impossível desgrudar os olhos enquanto ela está na tela. Não à toa, Rooney Mara foi indicada ao Globo de Ouro e ao Oscar de melhor atriz pela interpretação. Até na sequência mais forte de todo filme, capaz de revirar estômagos, Rooney e sua Lisbeth fascinam, deixando um ansioso gostinho de quero mais à espera da continuação da história. Simplesmente apaixonante.
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog
Veja aqui o trailer do filme Millennium: Os Homens Que Não Amavam as Mulheres:
The Girl with the Dragon Tattoo (EUA/Suécia/Reino Unido/Alemanha, 2011). Dirigido por David Fincher. Com Daniel Craig, Rooney Mara, Christopher Plummer, Stellan Skarsgard, Robin Wright, Steven Berkoff, Geraldine James, Goran Visnjic...

Um comentário:

  1. O filme mantém um ótimo clima investigativo e boas atuações. gostei.

    ResponderExcluir

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.