Super Hiper Mega Banner

#1042-Tão Forte e Tão Perto


*Por Raíssa Saraiva - raissasaraiva@daiblog.com.br

Ainda hoje, mais de 10 após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, é difícil compreender o tamanho do baque sofrido pela população norte-americana com a tragédia. Entre os milhares que perderam familiares e tiveram suas vidas abaladas, alguns nunca se recuperaram. Se a questão é delicada para a massa em geral, como seria descrita pelos indivíduos especiais e sua maneira única de encarar a vida?

Em Tão Forte e Tão Perto, novo filme do diretor Stephen Daldry (O Leitor, As Horas, Billy Elliot) baseado no livro de Jonathan S. Foer, vemos as cicatrizes do 11 de setembro por meio da família Schell, que perdeu o patriarca Thomas (Tom Hanks – Anjos e Demônios, Larry Crowne - O Amor Está de Volta) no atentado ao World Trade Center. A falta do pai é especialmente sentida pelo filho único, Oskar (o incrível estreante Thomas Horn), garoto com fortes traços de autismo e Síndrome de Asperger. Cerca de um ano após a tragédia, Oskar encontra uma chave entre as coisas do pai, e começa a investigar por conta própria o significado do objeto para a família.

Extraordinariamente tocante, Tão Forte e Tão Perto aborda temas delicados com uma ternura quase infantil. O filme tem um ritmo próprio, que funciona de acordo com as deduções do menino Oskar. Assim como em outros exemplares da telona, o autismo não funciona na história como um determinante, mas sim como um pequeno detalhe, importante para compreender a linha de pensamento do protagonista, alguém independente, forte e capaz de cuidar de si mesmo.
A trama emociona pela maneira direta com que a relação pai e filho (e depois mãe e filho) é abordada; Oskar é completamente apaixonado pelo pai e sua ausência tem impacto direto sobre toda a vida do garoto. Logo após o atentado, a sofrida mãe (Sandra Bullock – A Proposta, Crash - No Limite, Um Sonho Possível) busca vencer a distância que a separa do filho, agora completamente isolado do mundo exterior sem a presença firme do pai.
Um belo retrato familiar, uma abordagem alternativa e um reconhecimento sincero da inteligência dos autistas. É impossível não se emocionar com as atuações marcantes de Bullock e Horn e todos os seus desdobramentos. Tão Forte e Tão Perto vem lembrar que, essencialmente, todas as famílias são iguais em pelo menos um ponto: o amor incondicional.
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog
 
 
Veja aqui o trailer do filme Tão Forte e Tão Perto:
 
 
Extremely Loud & Incredibly Close (EUA, 2011). Dirigido por Stephen Daldry. Com Sandra Bullock, Tom Hanks, Thomas Horn, Zoe Caldwell, John Goodman, Max von Sydow, Viola Davis, Jeffrey Wright...

Um comentário:

  1. Um bom filme, porém, um pouco cansativo pelo ritmo que segue. Tem nas entre linhas, uma estória interessante de superação e personalidade.

    ResponderExcluir

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.