Super Hiper Mega Banner

#1099-Ted

Por Raíssa Saraiva - raissasaraiva@daiblog.com.br

Quase toda criança tem um amigo especial, inanimado ou imaginário, com quem gostaria de manter um diálogo em vez do monólogo de todo dia. Mas se isso realmente acontecesse, qual seria o prazo de validade desta amizade? Em Ted, filme de estreia de Seth MacFarlane como diretor nas telonas, essa pergunta fica bem fácil de responder.

John Bennet é um garotinho solitário que ganha um enorme urso de pelúcia (teddy bear, em inglês) de presente de Natal. O maior desejo do menino é que seu amigo Ted possa ser de verdade (alguém aí lembra do Pinóquio?). O sonho acaba virando realidade, e o fato, que tinha tudo para ser bizarro e inacreditável, alcança repercussão nacional, tornando o bichinho uma superestrela infantil. Quase 30 anos depois, a amizade de Ted e John (Mark Wahlberg, de O Vencedor, mostrando versatilidade) continua tão sólida quanto no começo. O único problema é que ambos se tornaram garotões que se recusam a assumir a vida adulta. O fato se torna um grande empecilho para o relacionamento de John com a namorada, Lori (Mila Kunis – Cisne Negro), quer deseja começar uma nova vida a dois... e não a três.
A trama de Ted se encaixa perfeitamente na categoria comédia-pastelão que os Estados Unidos não se cansam de produzir. Apesar de não serem tão chocantes e pesadas, estão lá as situações inusitadas, o sexo, as drogas, as bebidas. É quase impossível enxergar um ursinho tão fofinho fazendo traquinagens como um adolescente largadão. Mas é compreensível quando se descobre que, além da direção, Seth MacFarlane, criador de desenhos para adultos como Uma Família da Pesada, American Dad e The Cleveland Show, também é responsável pelo roteiro da história, além de dar voz ao bicho de pelúcia.
Algumas participações especiais, como Sam Jones (do seriado Flash Gordon) e Tom Skerritt (Top Gun – Ases Indomáveis), que interpretam a si mesmos, reforçam a atmosfera da década de 1980 que ronda a história. O galã Ryan Reynolds e a cantora Norah Jones também têm aparições-relâmpago na trama, além de Giovanni Ribisi (Avatar) que se destaca ao dar vida a um pai esquisito que deseja ter o ursinho falante a qualquer custo para presentear o filho gordinho e sem amigos.
A trama tem boas sacadas das típicas lições de moral, mas o espectador precisa estar atento para não deixar passar os pensamentos mais profundos sobre a dificuldade de crescer e abraçar a vida adulta, qualquer que seja a idade em que essa transição acontece. A maior lição é realmente a força da amizade, que, por mais piegas e cheia de clichês que seja, permanece intensa o suficiente para mudar os caminhos do futuro, sejam eles quais forem.
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblog
 
Veja aqui o trailer do filme Ted:
 
Ted (EUA, 2012). Dirigido por Seth MacFarlane. Com Mark Wahlberg, Mila Kunis, Seth MacFarlane, Giovanni Ribisi, Joel McHale, Jessica Barth, Aedin Mincks, Patrick Stewart (narração), Norah Jones, Sam Jones, Tom Skerritt…

Um comentário:

  1. Um filme que não exige das atuações, mas surpreende por ter um ursinho falante e não ser ruim, justamente aí que tá a grande ideia do filme, um ursinho de pelúcia fofinho, mas com o caráter de gente normal e com atitudes bem sem vergonha, é o que dá o ritmo cômico ao filme. Resumindo, é um filme divertido.

    ResponderExcluir

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.