Super Hiper Mega Banner

Entrevista com o cineasta e skatista Guilherme Guimarães


*Por Ray de Aguiar - raydeaguiar@daiblog.com.br

Estreou dia 10 de junho nos cinemas o curta-metragem CityZen, que aborda a cultura do skate como forma de intervenção urbana na cidade de São Paulo. Cinco skatistas exploram diversos pontos da cidade e retratam a sensação de liberdade do esporte, em contraste com o caos asfixiante de uma grande metrópole. Para falar um pouco mais sobre o filme e o mundo dos skatistas, o Daiblog entrevistou o diretor do filme, Guilherme Guimarães, que também arrisca algumas manobras. Na entrevista, ele fala sobre do preconceito com skatistas, videogame e, claro, cinema. Confira!

Daiblog: Quando você começou a desenvolver sua paixão pelo skate?
Guilherme: Comecei a andar de skate aos 11 anos, pois meu primo tinha um skate que ficava em casa quando ele ia à escola. Eu pegava o skate dele escondido e tentava me equilibrar e aprender manobras. Até que um dia, me levaram a uma loja em Campinas e me deram um skate de presente. Nessa mesma época, minha tia me deu uma filmadora VHS que era dela e eu comecei a filmar.
De que maneira o filme CityZen aborda a cultura do skate?
O CityZen busca mostrar como o skatista consegue se abstrair de todo o caos da cidade de São Paulo quando anda. É como se fosse uma ferramenta de liberdade, pois através do skate enxergamos São Paulo de uma forma criativa e tentamos ver beleza numa cidade que poucos a vêem desse jeito. Além disso, o CityZen busca mostrar o street skate em sua mais pura essência.

O Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr., era conhecido também por ser skatista. Como você avalia a importância dele para o desenvolvimento do esporte?
Não conheço muito bem o Charlie Brown Jr., mas sei que o Chorão sempre defendeu o skate e ajudou a popularizá-lo. Ele também foi dono de uma marca de skate e parece que tinha um projeto bem legal com skate em Santos.
Hoje em dia, ainda há um preconceito em relação aos skatistas. Pra você, qual a maneira ideal para ajudar a acabar com isso?
Ao meu ver, não existe uma maneira ideal, pois sempre haverá preconceito. Mas isso é normal, acontece com quase tudo, menos com futebol no Brasil. Mas creio que isso parte da população levar em conta que o skate não é uma atividade de vagabundo. Creio que ferramentas como a internet ajudam a disseminar a cultura do skate e fazer com quem é de fora entenda um pouco melhor o porque andamos de skate. Mas creio que o skate está numa fase muito boa, existem inúmeros adeptos, simpatizantes, e pessoas que ao experimentarem a sensação do vento na cara, não conseguem mais parar (risos).

Muito desse preconceito, se deve ao fato de que muitos não conhecem a cultura por trás da prática do skate. Gostaria que você explicasse um pouco sobre essa cultura.
Ao contrário do que quem não anda de skate pensa, skate não é e nunca foi um esporte de competição. É um estilo de vida e nos divertimos andando de skate. Skatista vive isso, e respira skate todos os dias, entende? Ninguém pensa assim: "Ah, agora é hora de treinar, pois quero ser um campeão!", isso não existe (pelo menos pra mim, não). Por isso que as competições não têm a mínima importância para a comunidade do skate. Tanto faz se o cara o pentacampeão mundial, isso não nos interessa. O que realmente interessa à comunidade do skate é qual manobra ele fez e em qual pico, se ele tem estilo ou não, se consegue se expressar bem em cima do skate, quantas capas de revista conseguiu fazer, ou qual parte de vídeo lançada foi totalmente inovadora. E talvez um dos pontos mais importantes, seja qual filme que foi feito veio a influenciar toda uma nova geração de jovens skatistas e futuros filmmakers. Se alguém assistir o Pretty Sweet (2012), o último filme da Girl&Chocolate junto com o Spike Jonze, vai entender do que eu estou falando. Mas assistam o CityZen também! (risos)
Quanto tempo você levou para filmar o curta CityZen?
Três anos, no total.

Você costumava (ou costuma) jogar os games da série Tony Hawk Pro Skater? Se sim, qual seu personagem favorito nos jogos?
Eu jogava quando era mais novo! Todo mundo jogou THPS 1! Normalmente eu usava o Geoff Rowley ou criava o meu próprio personagem. Mas hoje em dia não jogo mais videogame.

Você pratica outros esportes além do skate?

Na verdade não, mas deveria! Pensei em começar a lutar boxe, mas isso ainda é só um plano.
Já sofreu alguma lesão grave andando de skate?
Felizmente, não. Meu melhor amigo quebrou o mesmo braço duas vezes e tem platina segurando os ossos dele. Mas comigo, ainda não aconteceu nada de muito grave, só algumas torções, deslocamentos, etc.

Falando sobre cinema, o que você curte? Qual seu filme (ou filmes) preferido(s)?

Pergunta difícil, hein? Eu sempre gostei muito de cinema, e por isso tento assistir tudo o que eu puder, desde filmes americanos, até europeus, brasileiros, asiáticos, etc. É bom para que eu tenha algumas referências também, e sou fã da Mostra Internacional de Cinema da TV Cultura. Ultimamente vi e revi quase todos os filmes do Hitchcock, pois tudo o que ele fez no passado influencia quase 80% das grandes produções de hoje. O Stanley Kubrick é um dos meus diretores preferidos também. Mas não consigo escolher um filme preferido, pois são muitos!
CityZen está circuito comercial nas seguintes cidades: São Paulo, Salvador, Brasília, Vitória, Belo Horizonte, Curitiba, Niterói, Rio De Janeiro, Porto Alegre, Campinas, Ribeirão Preto, Santos, Recife, Florianópolis e Guarulhos.

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.