Super Banner

Crítica: A apelação de A Vingança Está na Moda

Por Leonardo Resende - hashtagcinema@daiblog.com.br 

Exceto para quem sofre uma vingança, situações de retaliação são sempre muito apreciativas, pelo menos no cinema. Dirigido por Jocelyn Moorhouse (Colcha de Retalhos), A Vingança Está na Moda estreia nesta quinta-feira nos cinemas. Acompanhado por um trio de estrelas como: Kate Winslet, Judy Davis e Liam Hemsworth, o longa-metragem apresenta todos os elementos satisfatórios para uma comédia trágica, exceto por decisões tão radiciais.


A personagem de Winslet é Tilly, uma mulher que retorna a sua cidade natal para superar um antigo trauma e vingar todos aqueles que não ajudaram na sua redenção pessoal. Sua mãe, Molly - interpretada por Judy Davis com esmero - a recebe depois de muita insistência e amargura.


A química entre protagonistas (Davis e Winslet) é um achado da direção de Moorhouse. O roteiro apresenta piadas com um humor ácido e trágico. A direção parece segura, entre outros elementos, enriquecem o filme. Mas onde foi que o longa errou? Os apelos emocionais. Uma decisão fez como que o A Vingança Está na Moda caminhasse para um rumo sentimental.


Se alguém duvidava que o filme apresentava um fundo dramático sem este ato, mudou de ideia após a decisão tão surreal. Um acontecimento tão banal que os espectadores questionarão seu senso de interpretação. A Vingança Está na Moda serve de exemplo de como uma simples cena pode estragar todo entretenimento que o filme tanto empenhou construir. E mesmo que exista a tentativa propulsante de Winslet e Davis salvar a película, ela não é o suficiente para um apelo tão extremo. Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblog

Veja aqui o trailer do filme A Vingança Está na Moda:



A Vingança Está na Moda (Austrália, 2015) Dirigido por: Jocelyn Moorhouse. Com Kate Winslet, Liam Hemsworth, Hugo Weaving, Judy Davis, Sarah Snook, Caroline Goodall, Kerry Fox, Rebecca Gibney...
Google+