Super Banner

18º Fica - Crítica: O lado mais fraco da corda

*Por Michel Toronaga, da Cidade de Goiás - micheltoronaga@daiblog.com.br

A segunda noite da mostra competitiva do 18º Fica - Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental provocou diversas sensações no público. Um dos destaques exibidos no período da tarde foi documentário Vidas Flutuantes. Dirigido por Haoban Paban Kumar, filme indiano que aborda uma terrível situação: o despejo de uma série de famílias do lago Loktak.



Vivendo da pesca, comunidades inteiras foram expulsas pelo governo por causa de uma lei que culpava os moradores pela poluição do lago. A questão é: todo o lixo que contaminou o Loktak veio das grandes cidades, sendo que os moradores nunca foram os responsáveis pela contaminação das águas.


O filme mostra a luta diária de pescadores que tentam impedir que o governo derrube suas casas, que são choupanas flutuantes feitas de biomassa. E é nesse cenário de ativismo e luta por direitos que se percebe que a corda se rompe sempre pelo lado mais fraco. O Fica 2016 vai até domingo, na Cidade de Goiás (a 386 km de Brasília).
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

Cobertura 18º Fica. Leia também:
Festival traz cinema e natureza andando juntos
Cineastas mostram produção local na Mostra ABD
Realidade virtual registra desastre em Mariana
Espaço para animações na programação
Filmes questionam: o que é um lar?
Planeta Sigma desperta a imaginação
Google+