Super Banner

18º Fica - Festival de cinema anuncia seus vencedores

*Por Michel Toronaga, da Cidade de Goiás - micheltoronaga@daiblog.com.br 

Antes da cerimônia de encerramento do 18º Fica - Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, Lisandro Nogueira, coordenador do evento, reuniu a imprensa para fazer um balanço sobre a edição 2016. Quanto ao calor e à falta de conforto das cadeiras da sala de exibição, ele garantiu que as sessões de 2017 (que acontecerão entre 20 a 25 de junho) serão no Cine Teatro São Joaquim, cujas reformas já deverão estar concluídas.

Foto: Aline Arruda
Lembrando da parte dos debates, oficinas e formação de público do Fica, Lisandro garantiu que todas as exibições do ano que vem serão no formato DCP (Digital Cinema Package), que garante uma projeção melhor. E ressaltou a importância do evento no calendário cinematográfico mundial. "Nós ajudamos a fundar a Green Network, que reúne festivais ambientais em todo o mundo. Hoje em dia os atores pedem para participar do Fica pela temática. É o caso de Letícia Sabatela, que quis vir mas não pôde por alguns problemas", comenta.

Lisandro Nogueira. Foto: Aline Arruda

Mais tarde, foram anunciados os vencedores da mostra competitiva e da mostra ABD. A noite também contou com show gratuito de Elba Ramalho e Geraldo Azevedo. Veja a relação dos vencedores:

Mostra Competitiva Fica 2016
Melhor filme do Júri Popular – Troféu Luiz Gonzaga Soares (R$ 10 mil):  Taego Ãwa
2a Melhor Produção Goiana – Troféu José Petrillo (R$ 35 mil): E o Galo Cantou
Melhor Produção Goiana – Troféu João Bennio (R$ 50 mil): Taego Ãwa
Melhor curta-metragem – Troféu Acary Passos (R$ 35 mil): La Petit Pousse
Melhor média-metragem – Troféu Jesco Von Putkamer (R$ 35 mil): Phum Shang
Melhor longa-metragem – Troféu Carmo Bernardes (R$ 45 mil): Remember Your Name, Babylon
Melhor obra – Troféu Cora Coralina (R$ 70 mil): La Supplication

Premiação 14ª Mostra ABD Cine Goiás
Prêmio de melhor ator (R$ 7500): Jonatas Borges, pelo filme Jonatas
Prêmio de melhor atriz (R$ 7500): Mariana Nunes, pelo filme Blaxploitation: A Rainha Negra
Prêmio de melhor trilha sonora original (R$ 7500): Sankirtana, pelo filme Reincidência
Prêmio de melhor som (R$ 7500):  Vasconcelos Neto, por sua participação diversificada em três produções Tereza Bicuda, Leblon Marista e Jonatas
Prêmio de melhor montagem/edição (R$ 7500): Fabrício Cordeiro e Luciano Evangelista, pelo filme Leblon Marista
Prêmio de melhor direção de fotografia (R$ 7500): Rei Souza, pelo filme Muitos Me Seguem , Mas Só Deus Me Acompanha
Prêmio de melhor direção de arte (R$ 7500): Úrsula Ramos, pelo filme E O Galo Cantou
Prêmio de melhor roteiro (R$ 7500): Getúlio Ribeiro, pelo filme: Jonatas
Prêmio de melhor direção (R$ 12 mil): Daniel Nolasco, pelo filme Febre da Madeira
Prêmio Martins Muniz de melhor filme experimental (R$ 12 mil): Silêncio Não Se Escuta, de Rochane Torres e Tive Fome Colhi Sede, de Rafael Freire
Prêmio Eduardo Benfica para o melhor filme documentário (R$ 12 mil): Febre da Madeira, de Daniel Nolasco
Prêmio Fifi Cunha de melhor filme de animação (R$ 12 mil): Vida de Boneco, de Flávio Gomes de Oliveira
Prêmio Beto Leão para o melhor filme de ficção (R$ 12 mil): Jonatas, de Getúlio Ribeiro

Cobertura 18º Fica. Leia também:
Festival traz cinema e natureza andando juntos
Cineastas mostram produção local na Mostra ABD
Realidade virtual registra desastre em Mariana
Espaço para animações na programação
Filmes questionam: o que é um lar?
Crítica: Planeta Sigma desperta a imaginação
Crítica: O lado mais fraco da corda
Festival conta com música de qualidade
Entrevista com a cineasta Momoko Seto
Crítica: Vozes de Chernobyl vai além da tragédia
Roteiro gastronômico para cinéfilos
Alê Abreu fala do seu novo trabalho
História do ponto de vista dos índios
Lembranças de uma infância no Irã
Crítica: Coal India e as vidas queimadas no carvão
Google+