Super Banner

Crítica: Kino no Tabi é como um road movie reflexivo

*Por Diego Gonçalves, do É Só Um Desenho - Anime e Mangá - Especial para o Daiblog 

De modo geral, poucas talvez sejam as produções de ficção que efetivamente mereçam o adjetivo de “filosóficas” ou “profundas”. Mas mesmo diante disto não hesitaria em colocar a singela animação japonesa Kino no Tabi: The Beautiful World como uma destas obras. Baseada em uma série de livros escritos por Keiichi Sigsawa, o anime conta com 13 episódios, mais um episódio especial e dois filmes de aproximadamente 30 minutos cada. E definitivamente vale cada minuto.


Na obra, acompanhamos a menina Kino (Ai Maeda) e seu companheiro, a moto falante Hermes (Ryuji Aigase), conforme ambos viajam pelo mundo, visitando novos países e conhecendo novas pessoas. É uma obra episódica, e cada novo episódio apresenta Kino e Hermes chegando a um país, interagindo com os locais, e então partindo para a próxima breve aventura. Mas apesar desta estrutura simples, é bom deixar claro que a obra nada tem de simplória.


Cada país que Kino e Hermes visitam é bastante único. Desde cidades-estados que mais parecem vilas campestres até países nos quais praticamente tudo foi automatizado, tal como os personagens o espectador nunca sabe o que esperar. Mas toda essa diversidade tem um propósito: cada novo país visitado é uma forma do autor explorar um novo tema. Relações humanas, trabalho, cultura, tradição, literatura... Por conta dessa estrutura, essa é uma daquelas obras que deixam o espectador a refletir sobre os mais variados assuntos.


Em termos de personagens, Kino e Hermes são bem interessantes. Kino é uma viajante por excelência, e seu único objetivo é visitar o maior número possível de países. Exímia atiradora, ela é também uma personagem bastante humana, suscetível a medos e inseguranças, ainda que nunca recue em uma situação desfavorável. Já Hermes é sobretudo um parceiro com quem Kino pode dividir alguns pensamentos, e com a moto quase sempre tecendo alguns comentários sobre o país que visitam ou a humanidade num geral acaba que temos uma boa dinâmica entre os dois.


Num geral, Kino no Tabi é uma obra bem única, na qual o ponto central são as várias mensagens e questionamentos que o autor deseja passar. Sua dupla protagonista é bastante carismática, com Kino talvez sendo uma das mais interessantes protagonistas femininas dos animes. E é, sem sombra de dúvidas, uma obra que vale a pena ver e rever.
Cotação do Daiblog: DaiblogDaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

Google+