Super Banner

Mostra Cinema Agora no Festival de Brasília

Além dos 21 filmes que integram as mostras competitivas de longas e curtas-metragens, o 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro está programando uma série de exibições que prometem provocar debates e reflexões sobre alguns dos temas mais pungentes da realidade brasileira. São mostras paralelas e sessões especiais que poderão ser vistas em horários alternativos no Cine Brasília e no Cine Cultura Liberty Mall, algumas delas acompanhadas de debates com os realizadores. Entrada franca!

Eles Vieram e Roubaram Sua Alma

A mostra CINEMA AGORA! tem como conceito norteador agrupar uma série de filmes que, a partir de propostas bem diferentes de cinema (da ficção ao filme-ensaio, passando pelo documentário e todas as formas híbridas entre esses), deixam claro o fato de que surgem de uma necessidade urgente de seus realizadores se expressarem através do cinema. Feitos sem patrocínios públicos nem apoios privados de maior expressão financeira, são todos obras em que os baixos recursos de produção em nada servem de desculpa para que atinjam resultados estéticos plenamente expressivos, representando um tipo de cinema profundamente pessoal e, ao mesmo tempo, de enorme abrangência de temas e de ambições. É um cinema ao mesmo tempo pequeno em estrutura, mas enorme em significados.




CINEMA AGORA! inclui Eles vieram e roubaram sua alma, primeiro longa de Daniel de Bem, um filme poético que aborda os próprios anseios do diretor de encontrar uma identidade como cineasta; o experimental Não me fale sobre recomeços, do cineasta e artista visual Arthur Tuoto, cuja obra já foi exibida em festivais como Berlinale, BAFICI e Semana dos Realizadores; Os pássaros estão distraídos, experiência pessoal dos diretores Diogo Oliveira e João Torres sobre um pequeno e singelo universo doméstico; Pedro Osmar, pra liberdade que se conquista, documentário de Eduardo Consonni e Rodrigo T. Marques sobre o cantor, compositor, instrumentista, poeta e artista visual Pedro Osmar, importante figura da cena cultural paraibana; e Recado pro mundão, que dá sequência à pesquisa do diretor Diogo Noventa sobre a Fundação CASA (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente), de São Paulo.
Google+