Super Banner

Crítica: O dramático realismo de O Que Está Por Vir

*Por Michel Toronaga - micheltoronaga@cine61.com.br

Elogiá-la nunca será demais. Isabelle Huppert (A Professora de Piano) é uma atriz coringa que se sai bem em tudo que faz. A presença dela em um elenco é a garantia que se trata de um bom filme, já que a francesa parace escolher bem seus papéis. E sua mais recente atuação a estrear no Brasil não foge à regra. Em O Que Está Por Vir ela mais uma vez dá um show de interpretação como protagonista.


No longa-metragem, Huppert é Nathalie Chazeaux, uma professora filosofia que segue a vida com o marido, que também leciona. Os filhos já estão crescidos e ela divide o tempo entre dar aulas e cuidar da mãe, que tem depressão e sempre faz chantagens emocionais para chamar sua atenção. O filme segue com sua atarefada, porém satisfatória rotina.


A estabilidade do cotidiano, contudo, sofre profundas modificações quando todas as coisas parecem dar errado. Na verdade, são mudanças que acontecem em diversas esferas. Com direção e roteiro de Mia Hansen-Løve (Adeus Primeiro Amor), a película é carregada de verdade, com um realismo tocante. Grande parte dessa proeza se deve ao talento de Huppert.


Com muitas referência ao mundo da filosofia e também à forma de se ver a vida, o drama é leve e sincero. Nathalie é uma grande personagem da vida real e saber o que acontecerá com ela é algo que fisga a atenção do início ao fim. A ponto da projeção terminar e se ter aquela vontade de assistir mais. Seja pela qualidade de sua história inesperada ou pela identificação que é criada com quem assiste, afinal ninguém sabe do amanhã e nem o que está por vir.
Cotação do Cine61: Cine61Cine61Cine61Cine61

Veja aqui o trailer do filme O Que Está Por Vir:


L'Avenir (França, Alemanha, 2016). Dirigido por Mia Hansen-Løve. Com Isabelle Huppert, André Marcon, Roman Kolinka, Edith Scob..
Google+