Super Hiper Mega Banner

Cinquenta Tons Mais Escuros não tem nada de obscuro

*Por Clara Camarano - redacao@cine61.com.br

O pano de fundo privilegia o erotismo, o jogo perverso da sedução e o sadismo entre dois jovens que aparentemente nada têm em comum: a bela e recatada Anastasia Steele e o misterioso multibilionário Christian Grey, um homem indomável e insaciável. O tema atraente rendeu a trilogia Cinquenta Tons de Cinza, best-seller da inglesa E L James que vendeu mais de 40 milhões de livros. A obra atraiu a indústria cinematográfica e a consequente produção do longa-metragem do primeiro livro, Cinquenta Tons de Cinza. O filme dirigido por Sam Taylor-Johnson recebeu críticas negativas por conta da abordagem leve, que excluiu a principal pegada: o sexo sem pudor. 


O segundo  livro, Cinquenta Tons Mais Escuros, estreia nas salas dos cinemas brasileiros com a expectativa de superação do primeiro. Afinal, a própria autora resolveu mudar a direção, que desta vez é assumida por James Foley. O roteiro é do marido de James, Niall Leonard.  A sinopse segue a história de Christian Grey (Jamie Dornan) e Anastasia (Dakota Johnson) após o término de ambos por causa dos comportamentos sádicos do empresário. 


No entanto, uma guinada se dá. Anastasia, independente, resolve investir em sua carreira profissional, o que provoca ainda mais o amante, que não desiste nunca do seu foco e começa a aceitar uma quebra de regras. Ele opta por abrir mão dos seus desejos obscuros para ceder à sua louca paixão. Ao mesmo tempo, a jovem se sente mais livre para aceitar o jogo de perversão de Grey. 


O filme traz uma leveza e mensagem de esperança aos corações dos eternos românticos, que sairão chorando do cinema. No entanto, para quem tinha expectativa de uma obra fiel ao livro, a decepção será certa. O romance “mamão com açúcar” se mantém e se soma ainda com a ideia perfeita de um relacionamento, com dinheiro, amor e reticências plausíveis. Sexo, de fato, há. E até insinuações ao uso de objetos e de desejos obscuros, assim como a sombra das ex-submissas na vida do protagonista, que é desejado por seu corpo exaltado em  tomadas de close-up. Mas quem busca uma produção visceral, como Ninfomaníaca, do dinamarquês Lars Von Trier, vai ficar na vontade.
Cotação do Cine61: Cine61Cine61Cine61

Veja aqui o trailer de Cinquenta Tons Mais Escuros:



Fifty Shades Darker (2017, EUA) Dirigido por James Foley. Com Dakota Johnson, Jamie Dornan, Tyler Hoechlin, Luke Grimes, Bella Heathcote, Kim Basinger, Max Martini, Rita Ora, Eric Johnson...

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.