Super Banner

Cinquenta Tons Mais Escuros não tem nada de obscuro

*Por Clara Camarano - redacao@cine61.com.br

O pano de fundo privilegia o erotismo, o jogo perverso da sedução e o sadismo entre dois jovens que aparentemente nada têm em comum: a bela e recatada Anastasia Steele e o misterioso multibilionário Christian Grey, um homem indomável e insaciável. O tema atraente rendeu a trilogia Cinquenta Tons de Cinza, best-seller da inglesa E L James que vendeu mais de 40 milhões de livros. A obra atraiu a indústria cinematográfica e a consequente produção do longa-metragem do primeiro livro, Cinquenta Tons de Cinza. O filme dirigido por Sam Taylor-Johnson recebeu críticas negativas por conta da abordagem leve, que excluiu a principal pegada: o sexo sem pudor. 


O segundo  livro, Cinquenta Tons Mais Escuros, estreia nas salas dos cinemas brasileiros com a expectativa de superação do primeiro. Afinal, a própria autora resolveu mudar a direção, que desta vez é assumida por James Foley. O roteiro é do marido de James, Niall Leonard.  A sinopse segue a história de Christian Grey (Jamie Dornan) e Anastasia (Dakota Johnson) após o término de ambos por causa dos comportamentos sádicos do empresário. 


No entanto, uma guinada se dá. Anastasia, independente, resolve investir em sua carreira profissional, o que provoca ainda mais o amante, que não desiste nunca do seu foco e começa a aceitar uma quebra de regras. Ele opta por abrir mão dos seus desejos obscuros para ceder à sua louca paixão. Ao mesmo tempo, a jovem se sente mais livre para aceitar o jogo de perversão de Grey. 


O filme traz uma leveza e mensagem de esperança aos corações dos eternos românticos, que sairão chorando do cinema. No entanto, para quem tinha expectativa de uma obra fiel ao livro, a decepção será certa. O romance “mamão com açúcar” se mantém e se soma ainda com a ideia perfeita de um relacionamento, com dinheiro, amor e reticências plausíveis. Sexo, de fato, há. E até insinuações ao uso de objetos e de desejos obscuros, assim como a sombra das ex-submissas na vida do protagonista, que é desejado por seu corpo exaltado em  tomadas de close-up. Mas quem busca uma produção visceral, como Ninfomaníaca, do dinamarquês Lars Von Trier, vai ficar na vontade.
Cotação do Cine61: Cine61Cine61Cine61

Veja aqui o trailer de Cinquenta Tons Mais Escuros:



Fifty Shades Darker (2017, EUA) Dirigido por James Foley. Com Dakota Johnson, Jamie Dornan, Tyler Hoechlin, Luke Grimes, Bella Heathcote, Kim Basinger, Max Martini, Rita Ora, Eric Johnson...
Google+