Super Banner

Premiado Com Os Punhos Cerrados estreia para incomodar

*Por Clara Camarano - contato@cine61.com.br

Três jovens clamam pela liberdade, seja esta ideológica, política, social e pessoal. João, Eugênio e Joaquim criam um movimento próprio, que fere e incomoda, inclusive visual e sonoramente. Afinal, a ideia é chamar a atenção e, de fato, incomodar. Se o movimento é anárquico, a dúvida é gerada em torno do conceito de anarquia. Para estes, é o oposto de confusão, de bagunça, mas apenas o livre-arbítrio de dizer, sem papas na língua. É com este grito contextual para o século 21 que o longa-metragem Com Os Punhos Cerrados está em cartaz nos cinemas.


A produção levou os troféus de melhor filme no Festival de Cinema Luso Brasileiro, em Portugal; no Festival Cine/B, no Chile; no Transcinema Festival Internacional de No-ficción, no Peru; e ainda júri popular no Cine Under, em Recife. Prêmios à parte, vale destacar que, neste longa de baixo orçamento, os diretores também são os atores -  Luiz e Ricardo Pretti e Pedro Diogenes. Com o carimbo do grupo Alumbramento, de fato vale aplaudir a linha de raciocínio e esta quebra que eles conseguem fazer e até revolucionar o cinema tupiniquim. 


Uma quebra de paradigmas, que banha-se em um certo dadaísmo para criticar o mundo de hoje. Afinal, o trio de diretores mantém uma linha similar vista em produções como Estrada Para  Ythaca (2010) e Os Monstros (2011). A sinopse é também contestadora e agrada quem lê. São três homens em busca de uma revolução com o intuito de desfazer as amarras. Para isto, e com o cenário de Fortaleza e de uma praia deserta que remete a um paraíso perdido, eles invadem as transmissões de rádio da cidade com músicas, poesias, declamações ácidas e arquivos de som. Ainda abusam de citações que visam incomodar os poderosos e falar de sexo e da hipocrisia humana, sem pudor. 


Tudo muda quando eles conseguem este incômodo e a presença da atraente Salomé (Samya de Lavor), uma reles ouvinte que resolve se juntar ao grupo. O tema é realmente interessante. mas passar uma 1h14 pode se tornar bem cansativo para quem não curte uma produção lenta que abusa das câmeras paradas, de longas narrativas críticas e da falta de um maior diálogo que é consumido exatamente por esta narração e de ruídos sonoros propositais, que acabam se elevando à voz de quem fala. Um mérito em quebras narrativas em tempos atuais no cinema do Brasil, mas que deixa uma certa exaustão que nem sempre fará os reflexivos levarem a reflexão para casa. 
Cotação do Cine61Cine61Cine61Cine61

Veja aqui o trailer do filme Com os Punhos Cerrados:


Com os Punhos Cerrado (2014, Brasil) Dirigido por Pedro Diógenes, Luiz Pretti, Ricardo Pretti. Com Ricardo Pretti, Pedro Diógenes, Luiz Pretti, Santa De Lavor, Uirà dos Reis, Rodrigo Capistrano...
Google+