Super Banner

Natalie Portman fala sobre seu novo filme, Além da Ilusão

A premiada atriz Natalie Portman fala sobre Além da Ilusão, seu novo longa-metragem que estreia esta semana nos cinemas. Na entrevista a seguir, a artista conta como foi filmar o drama e detalhes sobre as gravações com a cineasta Rebecca Zlotowski. “Eu queria trabalhar com Rebecca há um bom tempo. Eu a conheci antes de ser diretora; nós estávamos juntas quando ela recebeu o financiamento para seu primeiro filme, Belle Épine. Foi muito comovente vê-la transformar-se numa diretora pessoalmente! Daquele momento em diante, acompanhei de perto sua carreira e assisti a seus dois primeiros filmes, dos quais gostei muito. Eu gosto particularmente do fato de ela colocar tanto de si em seus filmes, de ela conseguir ser tão pessoal – o que é o caso em Além da Ilusão.


Numa época da minha vida em que tive a sorte de estar morando em Paris, Rebecca me fez a proposta de um papel incrível num cenário louco! Atuar na França seria um desafio maravilhoso e eu aceitei com entusiasmo. No set, é o máximo ver o quanto ela dá de si para liderar a equipe, todos se entusiasmam com sua energia e sua visão. Ela já tem uma personalidade forte na vida real, mas no set você sente de verdade que ela sabe o que quer. Ela é a líder de uma equipe, mas uma líder sexy! E ela consegue nos fazer sentir como uma família, que é o cenário ideal em nossa profissão, algo muito importante porque as regras sindicais na França são diferentes das regras dos Estados Unidos.


Aqui você filma menos horas por dia, quase metade! Isso quis dizer que eu podia ter uma vida familiar durante as filmagens, o que é muito raro nos Estados Unidos. Em troca, você tem muito menos tempo para trabalhar. Enquanto que nos Estados Unidos poderíamos fazer umas 12 tomadas, aqui só fazíamos duas! Rebecca tinha que saber muito bem o que queria, para podermos avançar com rapidez. É verdade, eu enviei para Rebecca uma foto de Lily-Rose Depp quando ela estava procurando por uma atriz para interpretar minha irmã. Quando eu vi a foto, achei que essa irmandade seria muito incrível. E Lily-Rose é uma atriz muito talentosa: adorei a forma como ela interpretou o medo de falar com fantasmas.


Quando assisti ao filme finalizado, foi uma experiência muito forte para mim. Ele defende uma ideia magnífica, nada racional, de que continuamos a nos comunicar com o passado, de que podemos falar com nossos mortos. No contexto da herança terrível e sombria do Holocausto, faz total sentido. Eu estava vivendo na Europa durante as filmagens e não parava de pensar em todos os cemitérios nos subsolos das cidades. Acho que o que mais me comoveu em Além da Ilusão foi a dimensão espiritual”.

Google+