Super Hiper Mega Banner

Perfil: Tudo sobre o cineasta chinês Zhang Yimou

Zhang Yimou foi aclamado como um dos mais ambiciosos e influentes cineastas, não apenas em sua terra natal, a China, mas também no mundo inteiro. Muitos de seus filmes, começando por Sorgo Vermelho (sua estreia na direção em 1987), ganharam ou competiram por virtualmente cada um dos principais prêmios do cinema do planeta. Ele apresentou uma variedade de gêneros em seu trabalho (romance, história, comédia), junto de uma ampla gama de temas (feminismo, sexualidade, política) que majestosamente retratam o espetáculo da história da China, enquanto servem de alegorias sobre a vida e as pessoas de sua pátria.


Yimou nasceu em Xi’an, na província de Shaanxi, na China. Zhang adquiriu sua primeira câmera vendendo seu próprio sangue depois de se fascinar por filme e imagens visuais por meio das peças de propaganda do governo que eram sua única fonte de entretenimento permitida. Ele estudou cinematografia na Beijing Film Academy, se tornando parte da assim chamada Quinta Geração de cineastas da China, o primeiro grupo a se formar (1982) pela instituição após o fim da turbulenta Revolução Cultural das décadas de 1960 e 1970. Ele iniciou sua carreira como diretor de fotografia e trabalhou com dois de seus colegas formados da Quinta Geração em seus dois primeiros filmes – One and Eight (cujo nome original é Yi ge he ba ge, de1983 com o diretor Zhang Junzhao) e Terra Amarela (originalmente intitulado Huang tu di, com o diretor Chen Kaige em 1984, este filme apresentou o cinema contemporâneo chinês para o público ocidental).

O Clã das Adagas Voadoras
Durante grande parte de sua carreira, os filmes do próprio Yimou seriam elogiados por sua aparência visual, frequentemente baseada em um esquema de cores específico que permeava todo o trabalho, uma prática que remonta ao seu trabalho de operador de câmera. Ele se uniu novamente a Kaige como diretor de fotografia em The Big Parade (Da yue bing, 1986) e também foi responsável pela direção de fotografia de The Old Well (Lao jing, 1986). Neste último, que foi filmado em sua cidade natal de Xi’an, Yimou também atuou em frente às câmeras e ganhou o Prêmio de Melhor Ator no Festival Internacional de Cinema de Tóquio.

Herói
No ano seguinte, Yimou fez sua estreia na direção em Sorgo Vermelho, recebendo o Urso de Ouro de Berlim no Festival Internacional de Cinema de Berlim, onde ele se transformou em um favorito perene. Diversos de seus filmes posteriores foram exibidos no prestigioso evento e, em 1993, ele participou do júri do festival. O prêmio marcou a primeira de muitas homenagens ao seu trabalho como diretor, bem como o início de uma longa colaboração com a atriz Gong Li, que ele dirigiu em nove de seus filmes (sendo o último deles Amor Para a Eternidade em 2014), uma associação que resultou na fama internacional no cinema para a atriz.

Flores do Oriente

Yimou é o primeiro cineasta chinês a ser reconhecido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas®, ao ser indicado ao Prêmio Oscar® de Melhor Filme em Idioma Estrangeiro três vezes – Amor E Sedução (1990), Lanternas Vermelhas (Da hong deng long gao gao gua, 1991) e Herói (Ying xiong, 2002). Seus filmes foram indicados a mais três Prêmios Oscar® – Operação Xangai (Yao a yao, yao dao wai po qiao, 1995) pela belíssima direção de fotografia de Lü Yue, O Clã das Adagas Voadoras (Shi mian mai fu, 2004) 76 pelo glorioso trabalho de câmera de Zhao Xiaoding e A Maldição da Flor Dourada (Man cheng jin dai huang jin jia, 2006) pelos exuberantes designs de figurino de Chung Man Yee.

Lanternas Vermelhas
Cinco dos filmes de Zhang também foram indicados ao Prêmio Globo de Ouro da Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood (na categoria de idioma estrangeiro) – Tempo de Viver (Huo zhe, 1994), Operação Xangai, Herói, O Clã das Adagas Voadoras e, mais recentemente, Flores do Oriente (Jin líng shí san chai, de 2011). Adicionalmente, seus filmes renderam várias honrarias de organizações prestigiosas, como New York Film Critics Circle, Los Angeles Film Critics Association, National Society of Film Critics e National Board of Review, que citou cinco de seus filmes como os melhores do ano – Lanternas Vermelhas, A História de Qiu Ju (Qiu Ju da guan si), Tempo de Viver, Operação Xangai e A Maldição da Flor Dourada. Dois de seus filmes (Lanternas Vermelhas e A História de Qiu Ju) receberam indicações ao Prêmio Independent Spirit de Melhor Filme Estrangeiro.

Amor Para a Eternidade
Yimou foi agraciado com inúmeras condecorações em todo o mundo, incluindo dois Leões de Ouro por A História de Qiu Ju e Nenhum a Menos (Yi ge dou bu neng shao) e um Leão de Prata por Lanternas Vermelhas no Festival de Cinema de Veneza, o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cinema de Cannes por Tempo de Viver, três indicações à Palma de Ouro por Operação Xangai, Amor E Sedução e Tempo de Viver, o Uso de Prata de Berlim no Festival Internacional de Cinema de Berlim por O Caminho Para Casa (Wo de fu qin mu qin), o Prêmio Alfred Bauer por Herói, três indicações ao Urso de Ouro de Berlim por Uma Mulher, Uma Arma e Uma Loja de Macarrão (San qiang pai an jing qi), Herói e O Caminho Para Casa, dois prêmios British Academy of Film and Television Arts (BAFTA) de Melhor Filme Estrangeiro por Lanternas Vermelhas e Tempo de Viver, com uma terceira indicação por O Clã das Adagas Voadoras, o Prêmio do Público no Festival de Cinema de Sundance por O Caminho Para Casa o Prêmio de Melhor Filme em Idioma Estrangeiro da Toronto Film Critics Association por Herói, que também predominou no Festival de Cinema de Hong Kong, ganhando sete prêmios em 14 indicações. Hoje, ele permanece como o filme de maior bilheteria da história do cinema na China.

A Grande Muralha
Além de seu sucesso de crítica nos Estados Unidos e no Canadá, os filmes de Yimou também mereceram reconhecimento e aclamação em quase todos os continentes – América do Sul (Associação de Críticos de Cinema da Argentina, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo), Europa (Prêmios do Cinema Europeu, Festival de Cinema de Estocolmo, Oslo Films from the South Festival, London Critics Circle Film Awards, Prêmio David di Donatello na Itália, entre outros) e Ásia (Asian Film Awards, Hundred Flowers Awards, Shanghai Film Critics’ Awards, Asia Pacific Screen Awards, entre outros). Junto de seus triunfos no cinema, Yimou também ganhou elogios do público e da crítica no mundo inteiro por sua grandiosa montagem das cerimônias de abertura e encerramento dos XXIX Jogos Olímpicos de Pequim em 2008. Naquele mesmo ano, ele ficou em segundo lugar na votação de Personalidade do Ano da Revista TIME Magazine.
4/ 5estrelas

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.