Super Hiper Mega Banner

Faces de Uma Mulher adentra no universo feminino

*Por Clara Camarano - contato@cine61.com.br

Quatro fases e facetas de uma mesma ou, cabe bem à metáfora, de várias mulheres expostas à violência e ao preconceito. O tema pode até parecer clichê, mas o retrato e recortes são totalmente originais. Ainda mais quando se trata da direção do francês Arnaud des Pallières. Em sua nova produção,  Arnaud dá voz ao sexo feminino com todas as suas fragilidades e dramas sociais impostos. Mas sem perder o empoderamento e a vontade do grito.


Um baralho enigmático, com atuação de quatro atrizes de porte que se revezam na atuação de uma personagem  apresentada por  nomes diferentes,  mas sempre co-relacionados à mesma pessoa. A menina Kiki  (Vega Cuzytek), de seis anos; a adolescente Karine (Solène Rigot), a jovem de 20 anos Sandra (Adèle Exarchopoulos – protagonista de Azul é a Cor Mais Quente) e, finalmente, Renée (Adèle Haenel), com seus 27 anos, formam este time que dão vida à “Karine”.


A suposta Karine é retratada com todos estes nomes (todas podem ser ou são Karine), em uma ordem que não segue uma cronologia. A então Karine é a atriz Adèle Haenel, uma professora que aparentemente leva uma vida tranquila em uma escola infantil onde leciona para crianças filhas de imigrantes. O tema do preconceito contra a imigração já é aqui pincelado. Fora isto, Karine, em seu lado pessoal,  pensa em ter um filho com o namorado por meio de uma inseminação artificial.


Policiais à porta e uma prisão geram uma reviravolta rápida que deixa um questionamento sobre a história real desta mulher. Ela é órfã e teve vidas diferentes, adotando sempre outros nomes para sobreviver a um passado repleto de abusos. É quando surgem as outras atriz para revelar este passado nebuloso e cheio de dores. Mesmo com uma sinopse maravilhosa, o filme, no entanto, perde no exagero que chega a beirar  um voyeurismo ao retratar a violência e o sexo. O final também deixa a desejar com uma conclusão duvidosa.  O que vale é o destaque da mulher mediante à vida ou sua submissão? Vale a pena assistir. Inovador.
Cotação do Cine61: DaiblogDaiblogDaiblog

Veja aqui o trailer do filme Faces de Uma Mulher:
   

Orpheline (França, 2016) Dirigido por Arnaud des Pallières. Com Adèle Haenel, Adèle Exarchopoulos, Solène Rigot, Vega Cuzytek, Jalil Lespert, Gemma Arterton...

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.