Super Hiper Mega Banner

Um Instante de Amor exalta feminismo na década de 50

*Por Clara Camarano - contato@cine61.com.br

Ao fim da Segunda Guerra Mundial, uma mulher revolucionária para época exala desejos, erotismo, feminilidade e vive em um mundo particular onde exclama por liberdade. Um toque de feminismo permeia a história da forte e densa Gabrielle que deu origem a romance Mal de Pierres, de Milena Agus. Dos livros para as telonas, Um Instante de Amor estreia esta semana. O filme de 2h01 dirigido pela francesa Nicole Garcia (de O Adversário) chega cheio de metáforas e particularidades de um universo feminino. 



A produção gira em torno de  Gabrielle, protagonista que ganha todos os coloridos com a interpretação exímia de Marion Cotillard.  A história é ela, do início ao fim. No início da década de 50, na França, a bela é vista como velha demais para permanecer solteira e acaba sendo obrigada a se casar com um pedreiro que trabalha na propriedade dos seus pais. Da relação complicada que mantém com sua família, Gabrielle passa para uma relação fria com seu novo companheiro José (Alex  Brendemühl), um viúvo que, assim como ela, sabe que o matrimônio está fadado ao fracasso.  


Considerada uma mulher doente, com desejos atípicos para a sociedade da época e com sérios problemas renais, a personagem de  Marion opta também por este infeliz casamento para se livrar da internação em um sanatório. No meio do caminho, no entanto, sua vida revira ao conhecer o tenente André Sauvage (Louis Garrel) no hospital onde começa a tratar da doença renal. Um romance proibido, doentio e ardente. Uma forte cena de sexo entre os dois mostra a sobreposição do desejo e da entrega aos prazeres. 


Visceral, delicado, sensível e, ao mesmo tempo, revolucionário, o filme merece aplausos por ser recheado de detalhes, como a bela fotografia, cenas de close-ups exaltando a feminilidade (e, claro, a beleza provocativa de Marion Cotillard). Não à toa, a produção, além de ser uma das de mais destaque no Festival Varilux de Cinema Francês deste ano, foi ainda ovacionada na 69ª edição do Festival de Cannes e concorreu à Palma de Ouro. Já que nem tudo é perfeito, um ponto falho é a falta de encadeamento e de um roteiro mais explicativo. Afinal, a personagem central é densa demais e alguns dos seus traumas ficam nebulosos e deixam algumas interrogações no final. Mas, vale a pena assistir.
Cotação do Cine61: DaiblogDaiblogDaiblog

Veja aqui o trailer de Um Instante de Amor




Mal de Pierres (França / Bélgica / Canadá, 2016) Dirigido por Nicole Garcia. Com Marion Cotillard, Louis Garrel, Alex Brendemühl, Brigitte Roüan, Victoire Du Bois, Aloïse Sauvage, Daniel Para...

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.