Super Hiper Mega Banner

A música é o grande acerto de Em Ritmo de Fuga

Mandando muito bem na direção de automóveis, o jovem Baby (Ansel Elgort) é peça fundamental de um grupo de criminosos liderado pelo estrategista Doc (Kevin Spacey). O garoto é rápido no volante, por isso consegue escapar de inúmeros policiais assim que os ladrões concluem o assalto. E isso é exemplificado logo na primeira cena do longa-metragem Em Ritmo de Fuga. O filme tem uma premissa que lembra muitos títulos, como o ótimo Drive, protagonizado por Ryan Gosling. A diferença, contudo, é como a trama é abordada. Existe violência e momentos de tensão, mas o resultado é moderninho e despreocupado.



Mesmo envolvido com coisas erradas, Baby é um cara legal e do bem. Cuida do pai adotivo, canta, dança na rua e ajuda o próximo. Flashbacks mostram um pouco seu passado e logo é fácil criar simpatia pelo personagem. Como já é de se esperar, ele conhece Debora (Lily James, de Cinderela), uma garota bonita. E mesmo quando tenta seguir um caminho dentro da lei e ter um romance normal, os comparsas criminosos ressurgem e o colocam novamente em perseguições e tiroteios. Tudo isso já foi visto antes, mas nunca com um detalhe que é o grande acerto da trilha sonora: a importância da trilha sonora.


O filme é quase um musical. Não por ter momentos coreografados e com personagens cantarolando, mas pela quantidade de canções que ecoam nas quase duas horas de projeção. E com vários ipods repletos de trilhas sonoras que variam de acordo com seu humor, Baby consegue se distrair de um zumbido no ouvido que o atormenta desde uma tragédia na infância. As melodias, mais do que um entretenimento ou distração, possuem uma função catártica para que ele se concentre nas manobras com os carros e ainda mantenha um vínculo com seu passado.



Com direção e roteiro de Edgar Wright (Scott Pilgrim Contra o Mundo e Todo Mundo Quase Morto), o filme pode ser não ser o melhor exemplo de originalidade, mas consegue divertir. Na metade para o final as coisas ficam fora do controle e a ação toma conta da história. Mesmo com esse título brasileiro genérico, Em Ritmo de Fuga é um filme que se destaca dos demais do gênero por não focar exclusivamente nas corridas. Ele consegue divertir um público grande por conter ação, comédia e até mesmo romance. Difícil não gostar.
Cotação do Cine61DaiblogDaiblogDaiblogDaiblog

*Por Michel Toronaga - 
micheltoronaga@cine61.com.br


Veja aqui o trailer do filme Em Ritmo de Fuga:

 
Baby Driver (Reino Unido / EUA, 2017) Dirigido por Edgar Wright. Com Ansel Elgort, Jon Bernthal, Jon Hamm, Eiza González, Micah Howard, Lily James Morgan Brown...


Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.