Super Hiper Mega Banner

Itália e Fellini são temas do drama Em Busca de Fellini

Com todas as características de um filme de Fellini, do visual interpretativo e metafórico à história e a estrutura de Em Busca de Fellini entrelaça os filmes do renomado diretor italiano com a jornada de Lucy. Aos 20 anos, Lucy (Ksenia Solo) nunca beijou um garoto, nunca trabalhou e não tem amigos. Sua única amiga é a mãe Claire (Maria Bello), que a protegeu de tudo e de todos desde criança. Tudo parecia sair como o planejado até que a garota, fã dos filmes de Fellini e incentivada pela tia, resolve partir para uma aventura sozinha na Itália para desbravar o mundo. Ela fantasia a vida através das lentes do cineasta. E com o desenrolar, sua vida transforma-se em um filme de Fellini: de vida e morte, amor e dor. 


A história escrita por Nancy Cartwright e Peter Kjenaas, e inspirada em uma jornada pessoal vivida por Cartwright há décadas, Em Busca de Fellini demorou 20 anos para se concretizar. Os fãs de Fellini podem identificar os personagens do longa baseados na obra do diretor italiano e a edição de Spencer Jones e Alexa Vier mostra um contexto muito parecido com alguns dos filmes de Fellini. Lucy, cuja ingenuidade é inspirada na personagem de Giulietta Masina no filme A Estrada da Vida, não é a única referência aos filmes de Fellini. Em Busca de Fellini é recheado de personagens, locações e referências estéticas aos clássicos do diretor, como A Doce Vida, 8 ½ e Noites de Cabíria


Durante sua viagem pela Itália, Lucy conhece na sua jornada alguns personagens que são de fato vividos por atores que trabalharam com o diretor, como Bruno Zanin que atuou no filme Amarcord. Um dos momentos, no entanto, envolve uma aparição, sem fala, de Mariano Aprea no papel de Fellini. Do penteado e figurino à iluminação etérea de Garrison, a cena foi rodada na rua que Fellini viveu. O filme ainda tem a atriz Nancy Cartwright como Cosima. Em Busca de Fellini captura não somente a essência do próprio Fellini, como também a beleza da Itália e o coração de Lucy. É como um guia de viagem da Itália, uma carta de amor, não só por conta dos lugares reconhecíveis e mágicos, escondidos labirintos, becos e patisseries quase nunca mostrados nos filmes, mas uma jornada de auto conhecimento e vida.

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.