Super Hiper Mega Banner

Os trabalhos do diretor e roteirista Ruy Guerra

Mais conhecido pelo seu trabalho como cineasta, Ruy Guerra já exerceu outros papéis entre eles ator, letrista, escritor, roteirista, montador e professor. Moçambicano de nascença e um homem do mundo por opção, já viveu em vários países entre eles Portugal, Espanha, Grécia e Cuba. A formação em cinema foi no Institut des Hautes Études Cinématographiques, em Paris, entre 1952 e 1954. Chegou ao Brasil em 1958 e lançou seu primeiro longa-metragem Os Cafajestes, em 1962, exibido no Festival de Berlim de 1963. 


Como cineasta, somam-se cerca de 8 curtas-metragens e 14 longas, tendo recebido dois Ursos de Prata no Festival de Berlim por Os Fuzis, em 1964, e A Queda, em 1978. Participou dos mais importantes festivais do mundo – Cannes, Berlim, Veneza, Rotterdam, Toronto, entre vários outros, e recebeu mais de 60 prêmios, no Brasil e no exterior. Seu filme Os Deuses e os Mortos foi eleito, pela prestigiada revista Cahiers du Cinema, como um dos sete melhores filmes do ano de 1971, e Os Fuzis foi eleito, pela mesma revista, como um dos dez melhores filmes da História do cinema. 

O Veneno da Madrugada
Também dirigiu O Veneno da Madrugada, uma coprodução Brasil, Argentina, Portugal, premiado nos festivais de Brasília, de Havana e de Santa Cruz de la Sierra, e exibido nos festivais de San Sebastian e Biarritz, entre outros. Como ator, seu último trabalho é a participação em Sangue Azul, de Lírio Ferreira, em 2014. Seu último filme como diretor foi Quase Memória

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.