Super Hiper Mega Banner

51º FBCB - Um festival de cara nova

Casa cheia. Cheia também de glamour e novidades! Mais de mil pessoas passaram pelo Cine Brasília (106/107 Sul) na noite de sexta-feira (14/09) para conferir a abertura da 51ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O evento, o mais tradicional do Brasil, chegou desta vez com mais força, mais imponência, maior acesso para o público e com forte presença das mulheres que assinam 13 das 21 produções (9 longas e 12 curtas-metragens) como diretoras ou codiretoras.

Chico Diaz e Letícia Sabatella
Neste ano, a bandeira é pela democratização do acesso. O festival vai ocupar 13 regiões administrativas do Distrito Federal até o dia 23 de setembro. Além, claro, da sua casa principal: o Cine Brasília. O cinema está totalmente de cara nova. Uma imponente praça de alimentação se estendeu para os gramados, na área externa que dá acesso às quadras 106 e 107 Sul. Os cinéfilos que quiserem dar plantão no evento vão poder desfrutar das delícias da praça, que inclui restaurantes como o tradicional Beirute. Haverá, ainda, som nos intervalos e durante às sessões.
  
Praça de alimentação
E a noite de boas-vindas foi marcada por uma série de homenagens que fizeram o público deixar os contratempos de lado. Apesar das obras do metrô, do congestionamento no trânsito e do atraso para iniciar a sessão, que estava marcada para às 19h30 e começou depois das 20h, a plateia não hesitou em esperar, aplaudir e curtir até o final. Mais de 600 pessoas, espalhadas pelas cadeiras e pelo chão, puderam conferir a cerimônia comandada pela atriz Letícia Sabatella e pelo ator Chico Diaz.  

Premiadas
Em 2018, as novidades vão além do visual novo do evento. Criado este ano, o prêmio Leila Diniz – em homenagem à revolucionária atriz (1945-1972) - foi entregue para a atriz, diretora, produtora e dramaturga Íttala Nandi e para Cristiana Amaral. O prêmio foi criado para homenagear as importantes mulheres do cinema brasileiro. Ainda, a medalha Paulo Emílio Salles Gomes – destinada a figuras que também marcaram o cinema nacional - foi concedida a dois feras do audiovisual: Walter Mello e Ismail Xavier. 

Camila Morgado
Na plateia, celebridades marcaram presença. A atriz Camila Morgado subiu ao palco com os realizadores para falar sobre o longa-metragem da noite: Domingo, de Fellipe Barbosa e Clara Linhart. Ítalla Nandi, estrela do filme, apresentou a produção que conta a história de uma família burguesa gaúcha que vivia seus dramas e anseios na época da posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003.  

Domingo, longa de abertura
Outro destaque foi a exibição do documentário Imaginário, de Cristiano Burlan. O filme mescla imagens de arquivos e discursos de autoridades em torno do golpe de 1964. A exibição das produções deram um tom político para a noite, que contou ainda com alguns gritos de protesto de “Lula Livre”, realçando o clima da edição que antecede as eleições. Programação completa do festival você confere em: www.festivaldebrasilia.com.br.

*Por Clara Camarano - contato@cine61.com.br

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.