Super Hiper Mega Banner

Luna questiona a banalização das redes sociais

O longa-metragem mineiro Luna, exibido na Mostra Competitiva do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, apresentou uma pegada diferente do curta Mesmo Com Tanta Agonia (SP), embora traga características semelhantes. O filme da noite se apresentou com uma produção madura, crítica e sensível. Alguns, poderiam dizer que o filme chega a ser feminista. Mesmo retratado pelo olhar masculino, - do diretor Cris Azzi -, a película entrou no universo feminino e da luta por maior respeito. Um ótimo gancho político e de protesto que combina com o período que antecede às eleições. 

Fotos: Gustavo Baxter
No centro da trama está Luana (Eduarda Fernandes), uma adolescente que está em fase de descobrimento da vida e da sua sexualidade.  É quando ela encontra no colégio uma adolescente mais madura. Ambas traçam uma relação de amizade e de descobrimento dos prazeres carnais. Tudo retratado com muita sutileza. A relação que parece lésbica, no fundo reflete mais o encontro de duas amigas que estão, juntas, desvendando o mundo e a fase da juventude. Em alguns momentos do filme, parece até que ele vai cair em uma orgia, mas não chega nem perto disto. É bem juvenil, assim como as meninas. O que combina com a proposta.


Apesar de tudo parecer uma curtição, um vídeo de Luana nua vaza na internet. É quando a menina terá que lidar com o machismo. A delicadeza, a bela e difícil relação com a mãe – que acaba se mostrando sua verdadeira –, a luta contra piadas grosseiras e o enfrentamento das cobranças internas são temas que recheiam a produção, que usa e abusa de tomadas surrealistas. A agonia da menina nos remete a um sonho, onde ficamos na dúvida do seu desfecho. Há ainda um protesto de várias mulheres contra o deboche juvenil dos garotos da escola. Esta cena é retratada de uma maneira simbólica. De fato, um filme comovente, que dá uma lupa na fase da adolescência e que grita pelo respeito às mulheres sem cair no clichê! Palmas!

*Por Clara Camarano - contato@cine61.com.br

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.