Super Hiper Mega Banner

Thriller psicológico Homem Livre estreia em novembro

Primeiro longa-metragem dirigido por Alvaro Furloni, Homem Livre conta história de Hélio (Armando Babaioff), um ex-ídolo do rock que, após passar anos na cadeia por um crime que chocou o país, encontra abrigo em uma pequena igreja evangélica. Ele só quer ser esquecido, mas seu passado volta para assombrá-lo. de 80% do filme é ambientado em um único local, uma igreja suburbana onde Hélio se refugia. Vemos o mundo pelo prisma do personagem, e a inquietação que ele sente é transmitida através da linguagem visual do filme. A câmera subjetiva nos coloca em sua perspectiva distorcida e evoca sua inquietação doentia.


“Eu sempre quis que o filme passasse uma sensação claustrofóbica, para mostrar como o seu protagonista continuava preso mesmo após sair da cadeia. O grande desafio para deixar o filme visualmente atrativo foi criar vários moods para a locação principal, de forma que ela nunca fosse filmada exatamente da mesma maneira. Ao longo do filme, há um reposicionamento constante das fontes de luz e do mobiliário no quarto do protagonista. Assim, embora o personagem permaneça confinado em um único lugar durante a maior parte do tempo, o público não fica com a sensação de que está vendo a mesma coisa repetidas vezes”, explica Álvaro.


Como um  um thriller psicológico, Homem Livre assume a perspectiva do seu protagonista do início ao fim, criando uma tensão e uma paranoia crescentes, até o espectador não conseguir diferenciar o que é realidade do que é imaginação. O diretor, assumidamente fã do gênero, tem como referência filmes da trilogia do apartamento de Roman Polanski Repulsa ao Sexo (1965), O Bebê de Rosemary (1968) e O Inquilino (1976), além de O Homem Duplicado de Denis Villeneuve e, principalmente, Cisne Negro, de Darren Aronofsky para criar a atmosfera do filme.


Outro elemento importante em Homem Livre é a comunidade evangélica onde o protagonista vive. “Igrejas evangélicas, de uma forma geral, são espaços que lidam o tempo todo com culpa e perdão, os principais temas do filme. Não por acaso, a conversão religiosa é um caminho bastante recorrente para ex-detentos famosos, que buscam nas igrejas um abrigo que não encontram em qualquer outro lugar. Porém, é comum que essas conversões sejam vistas com uma dose de ceticismo pela sociedade, como se o ex-presidiário e a igreja estivessem escondendo as suas reais motivações”, explica o Álvaro que antes do filme, não tinha tido nenhuma experiência relevante com a comunidade evangélica. “Acabei aprendendo muito durante a preparação para o filme. Para quem não conhece, como era o meu caso, é comum enxergar os chamados “crentes” como uma única categoria, atribuindo a todos uma série de características negativas. Mas a verdade é que existem inúmeras vertentes evangélicas e a igreja retratada no filme é um bom exemplo”, ele complementa.



Além de Armando Babaioff (Prova de Coragem) como Hélio, o elenco traz Flávio Bauraqui (Nise: O Coração da Loucura), Rosane Mulholland (Falsa Loura), Márcio Vito (Pendular), Giancarlo Di Tomasso (“Gonzaga - de Pai para Filho”), entre outros. Homem Livre estreia comercialmente dia 8 de novembro em todo o Brasil pela Olhar Distribuição.

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.