Super Hiper Mega Banner

Gilda Nomacce em dose dupla na telona

A atriz Gilda Nomacce poderá ser vista em duas produções que chegam às telonas em fevereiro: no curta “Tea for Two”, que será exibido nos cinemas após o longa “Lembro Mais dos Corvos”, e na ficção “A Pedra da Serpente”, que trata da existência de extraterrestres e dos contatos de primeiro grau com seres humanos.  “Este é o meu primeiro longa de ficção com essa temática e foi maravilhoso participar. O bom de ser atriz é poder dar vida a um personagem diferente a cada novo trabalho, seja uma mulher trans ou uma que habita uma cidade visitada por extraterrestres”, conta Gilda. 

“A Pedra da Serpente”, de Fernando Sanches, estreu em 14 de fevereiro. Já, “Lembro Mais dos Corvos”, de Gustavo Vinagre, e “Tea for Two”, de Julia Katharine, em 21 de fevereiro. 

 SINOPSE “TEA FOR TWO” 

Silvia é uma cineasta de meia idade em crise com sua vida. Na mesma noite em que é surpreendida pela visita da ex-esposa, que a largou há alguns anos, conhece uma outra mulher que a fascina. 


SINOPSE “A PEDRA DA SERPENTE” 

Após ter perdido um bebê nos últimos meses de gestação, Joana tira alguns dias de férias em Peruíbe, uma pequena cidade litorânea conhecida por aparições de discos voadores. Depois de uma noite de sexo casual com um desconhecido, um homem some na cidade. Joana inicia uma estranha relação com Maria, a esposa do homem desaparecido, e se vê envolvida em uma trama sobre uma abdução alienígena.


Sobre Gilda Nomacce 

Gilda Nomacce, 47 anos, é paulista de Ituverava. Com uma carreira consolidada também no cinema, Gilda atuou em dezenas de longas-metragens como o premiado Ausência (2014) de Chico Teixeira, diversos filmes do coletivo Filmes do Caixote, como Quando eu Era Vivo e Trabalhar Cansa (ambos de Juliana Rojas e Marco Dutra), filme pelo qual foi premiada melhor atriz coadjuvante no Festival de Brasília de 2011; Meu Amigo Hindu (2015) de Héctor Babenco; Como Nossos Pais (2017) de Laís Bodanzky e Califórnia (2015) de Marina Person, além disso, esteve em dezenas de curtas-metragens, dentre eles Os Humores Artificiais do português Gabriel Abrantes, que recebeu o European Film Award no Berlinale 2017. No teatro, integrou o CPT, dirigido por Antunes Filho e já atuou em mais de 15 peças, entre elas Gotas d’Água Sobre Pedras Escaldantes, dirigida por Rafael Gomes, que rendeu a ela sua segunda indicação ao Prêmio Shell. Na TV, atuou em séries como O Som e o Tempo (Canal Brasil), A Garota da Moto (SBT) e em cenas do seriado Assédio (Globo).

Nenhum comentário

Todos os comentários do Cine61 são moderados por nossa equipe. Mensagens ofensivas não serão aprovadas. Obrigado pela visita!

Tecnologia do Blogger.